ANA: Mais fácil Palmeiras ser campeão que plano da Sabesp dar certo

Declaração foi dada pelo presidente da Agência Nacional de Águas, Vicente Andreu, na noite desta sexta-feira (10)

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O plano da Sabesp para utilizar a segunda cota do volume morto do sistema Cantareira é "altamente arriscado" e "não tem nenhum amparo técnico na realidade, além do desejo", afirmou na noite desta sexta-feira (10) o diretor-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu.

"É mais fácil o meu Palmeiras chegar em primeiro no Campeonato Brasileiro", disse Andreu, referindo-se à probabilidade de a projeção de recuperação do sistema feita pela Sabesp no plano se concretizar. "Pelas informações preliminares que me passaram, o plano é altamente arriscado."

"Para chegar em abril com 10% de água nas represas do Cantareira estão prevendo um cenário que, para outubro, já não está se verificando", afirmou o dirigente da ANA, em audiência pública sobre a crise hídrica na Câmara Municipal de Campinas (a 93 km de SP).

Segundo Andreu, a Sabesp estima no estudo a entrada de 15 m3/s de água no sistema neste mês. "Está chegando 3 m3/s. Pode ser que chova até o fim do mês e essa média seja atingida, mas hoje esse estudo não tem nenhum amparo técnico na realidade, além do desejo."

O Cantareira abastece diretamente 6,5 milhões de pessoas na Grande SP (antes da crise eram 8,8 milhões), para onde estão sendo enviados 19,7 m3/s de água. Também abastece indiretamente 5,5 milhões no interior do Estado, nas regiões de Campinas e Piracicaba, para onde estão sendo enviados 4 m3/s.

As represas do sistema possuem capacidade para armazenar 1,46 trilhão de litros de água - sendo 974 bilhões de volume útil e 486 bilhões de volume morto (ou reserva técnica). Do volume útil e 182 bilhões da primeira cota do volume morto, que já está sendo retirada do Cantareira desde maio, restam menos de 50 bilhões de litros de água. A segunda cota do volume morto adicionará 106 bilhões ao sistema, caso a retirada seja autorizada.

"Os 106 bilhões são o fim. Não tem mais água depois disso", alertou Andreu. "Se não chover, a situação da Grande SP é altamente preocupante. Não há como abastecer milhões de pessoas com carro pipa ou começar a furar poço [artesiano] da noite pro dia.

Soluções existem, mas nenhuma delas é de curto prazo." Nesta sexta, a Justiça Federal determinou que as agências ANA e Daee revisem a vazão de retirada de água do sistema. A liminar (decisão provisória) pretende garantir que a primeira fase do volume morto dure até o último dia de novembro, conforme havia sido planejado, após ação civil pública dos ministérios públicos Federal e Estadual em Piracicaba e Campinas.

O time do Palmeiras é o 13º colocado do Campeonato Brasileiro, 25 pontos atrás do líder Cruzeiro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave