Barcelona apoia realização de plebiscito sobre Catalunha

Se houver a separação, a Liga Espanhola de Futebol promete excluir o Barça e outros clubes catalães das competições nacionais

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

EMILIO MORENATTI/ASSOCIATED PRESS
undefined

O Barcelona reiterou que apoia o desejo da Catalunha de realizar um referendo para decidir se fica independente da Espanha, ainda que a situação possa fazer com que o clube deixe de disputar o Campeonato Espanhol.

"O FC Barcelona, de fato, foi uma das primeiras entidades do país que se declarou a favor do direito de decidir. Há um ano, se expressou de maneira contundente a favor do direito do povo da Catalunha", disse a equipe, nesta sexta-feira, em um comunicado.

O governo regional da Catalunha quer realizar o referendo no dia 9 de novembro, mas o Superior Tribunal da Espanha suspendeu a votação por considerá-la inconstitucional.

Javier Tebas, presidente da liga espanhola, disse na última terça-feira que o Barcelona e outros clubes catalães seriam excluídos das competições na Espanha se a Catalunha se tornar um estado separado.

Tebas afirmou que o direito desportivo do país só autoriza um território não espanhol - Andorra - a participar se competições oficiais. Se a Catalunha se tornar independente, a lei precisaria ser alterada para permitir a participação dos clubes catalães, que incluem também o Espanyol na primeira divisão, e outros na segunda, como Girona e Sabadell.

O Barcelona disse que seu presidente, Josep María Bartomeu, adere ao expressado no ano passado pelo presidente Sandro Rosell. "Nós estaremos sempre ao lado do nosso país e da vontade de seu povo. Defendemos o direito de decidir, porque é parte dos direitos fundamentais que devem ter as pessoas e todos os povos" afirmou Rosell, anteriormente.

O sentimento de independência na Catalunha tem aumentado nos últimos anos, durante a crise econômica na Espanha, e o estádio Camp Nou, do Barcelona, foi cenário de cânticos pró-independência durante alguns jogos.

Zagueiro do Barcelona, Gerard Piqué, recentemente participou de uma manifestação de na cidade do clube, pedindo a realização da votação em 9 de novembro, e Pep Guardiola, ex-jogador e técnico do time, também é a favor da independência.

Pesquisas mostram que, embora a maior parte dos 7,5 milhões de habitantes da Catalunha apoiem a votação, apenas cerca de metade quer a independência.

Leia tudo sobre: catalunhabarcelonaseparaçaoespanhaplebiscito