Calendário é o principal rival

Falta de tempo para treinar e descansar, sequência de partidas e convocações são vilãs

iG Minas Gerais | Bruno Trindade /Guilherme Guimarães |

Alisson já sofreu lesão por conta do desgaste de conciliar o Cruzeiro e a seleção brasileira olímpica
MOISES SILVA / O TEMPO
Alisson já sofreu lesão por conta do desgaste de conciliar o Cruzeiro e a seleção brasileira olímpica

O Cruzeiro segue como líder absoluto do Brasileiro, mesmo após cair em casa diante do Corinthians. Ainda com gordura para queimar na competição, o franco favorito ao título não tem derrapado apenas nos adversários diretos do Brasileirão. No segundo turno, outros fatores têm sido apontados como vilões e responsáveis pela queda de rendimento do time.

O técnico Marcelo Oliveira não se cansa de apontar os culpados pelo momento de instabilidade do Cruzeiro: o calendário de jogos, o desgaste físico, as lesões, as convocações de atletas importantes para a seleção e as suspensões por cartões. Foram 16 jogos realizados em 53 dias, com a média de uma partida a cada três dias. Atletas como Everton Ribeiro, Ricardo Goulart, Mayke, Lucas Silva, Henrique e Marcelo Moreno tiveram que ser poupados em alguns jogos pelo desgaste físico.

Egídio, Alisson, Ricardo Goulart e Henrique ficaram fora de alguns embates por lesões. Ribeiro e Goulart, na seleção principal, e Alisson e Lucas Silva, na sub-21, têm sido quatro nomes recorrentes nas convocações. E, por fim, Dedé, Ricardo Goulart e Moreno levaram cartões amarelos e foram suspensos.

Esses contratempos alteraram o desempenho da Raposa em campo. Se em oito rodadas da primeira metade da disputa os celestes somavam 16 pontos e já ocupavam a liderança, na mesma quantidade de jornadas do segundo turno, a história é outra. O Cruzeiro tem 13 pontos e figura como o oitavo melhor da final do Brasileiro.

E se o passado recente servir de inspiração, foi justamente após uma derrota para o Corinthians que o Cruzeiro encaixou uma ótima sequência. Em 11 rodadas, foram oito vitórias e três empates. Agora, o time celeste também quer uma resposta rápida diante do Flamengo. “Os adversários, de todo jeito, querem tirar ponto do Cruzeiro. Temos em mente que serão jogos difíceis. A gente não espera perder e nem cair de rendimento. A gente não quer se acostumar com derrota. Queremos manter o costume do Cruzeiro, que é seguir na liderança e manter o alto nível”, disse Lucas Silva.

Para o zagueiro Dedé, o calendário é o principal agravante. “O calendário vale para todos os times e muda o rendimento nos jogos. Por ter um jogo atrás do outro, não tem tempo para treinar e aprimorar alguns fundamentos. Isso também é ruim para os torcedores”, disse o defensor celeste.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave