Lula pede a militantes de SP que 'não abaixem cabeça' com denúncias

Partido tenta se recuperar dos maus resultados obtidos no Estado no primeiro turno das eleições

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Em ato de mobilização petista para tentar alavancar os votos da candidata à reeleição Dilma Rousseff em São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que "algo está errado" no discurso e na atitude do partido durante a campanha e pediu que denúncias de corrupção "não abaixem a cabeça" dos militantes petistas.

"Se tem um que comete um erro, tem dois que não cometem erros neste partido e neste país", afirmou na noite desta quinta-feira (9), diante de uma plateia de sindicalistas, políticos e membros de movimentos estudantis.

"Nós não podemos admitir que um tucano bicudo venha chamar a gente de corrupto", disse, em referência ao adversário de Dilma, Aécio Neves.

Lula lamentou o resultado do partido na periferia da capital e em redutos tradicionalmente petistas da Grande São Paulo, o chamado cinturão vermelho.

"Somente na Grande São Paulo nós governamos 16 milhões de eleitores. Nós estamos falando de uma região em que, por mais que haja anti-petistas aqui em São Paulo, tem muito petista", acrescentou.

O partido tenta se recuperar dos maus resultados obtidos no Estado no primeiro turno das eleições. Para o governo, o ex-ministro Alexandre Padilha ficou em terceiro lugar, com 18% dos votos; no Senado, Eduardo Suplicy cedeu sua vaga para o tucano José Serra após 24 anos de mandato.

Na disputa à Presidência, Aécio obteve 44% dos votos contra 25% de Dilma. Ao lado de Padilha, do prefeito da capital, Fernando Haddad, de prefeitos do interior do Estado --inclusive de Hortolândia, única cidade em que o PT ficou em primeiro na disputa ao governo paulista--, Lula disse que o partido tem que reforçar que há uma disputa por diferentes projetos de país na corrida presidencial.

Ele voltou a classificar a gestão de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) de "retrocesso". Também comentou a afirmação do ex-presidente tucano ao portal "UOL" de que o voto no PT cresceu mais nas regiões mais empobrecidas do país porque esse setores são "menos informados".

"Aquilo não é o pensamento dele. Aquilo é uma cultura deles, de dizer que quem não vota neles é mais burro porque não vota neles e quem vota neles são os sabidos e quem vota em nós são os ignorantes", discursou, acrescentando que "na cabeça dele, o Nordeste brasileiro e a periferia ainda hoje é como era no tempo em que ele era o presidente da República".

Antes de Lula, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, disse que Dilma não ganhou no primeiro turno por conta da "pressão da mídia" e pediu que os militantes se reúnam para planejar ações por busca de votos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave