Resultado das eleições frustra candidatos locais

Pela primeira vez em 20 anos, apenas um deputado que já morou na cidade foi eleito, entre 23 opções; mais de 40% dos eleitores optaram por não votar em nomes de Betim

iG Minas Gerais | Da Redação |

Candidatos de Betim a deputado tiveram o pior desempenho das últimas eleições. Para o município, que já conseguiu eleger de uma só vez seis parlamentares, como em 2006, quando surgiram dois deputados para a Câmara Federal e quatro para a Assembleia Legislativa, o resultado pode ser considerado vexatório para as lideranças locais.

Apenas um deputado que já teve residência em Betim conseguiu se eleger e, mesmo assim, com 80% de seus votos sendo de eleitores de outros lugares. Ivair Nogueira (PMDB) conseguiu ser reeleito e vai para o sexto mandato. Porém, assim como os demais candidatos locais, ele viu sua votação cair na cidade. Dos 53.578 votos que obteve no Estado, apenas 8.127 foram de betinenses, desempenho inferior ao da votação de 2010, quando conquistou 9.173 votos. “Acreditava que Betim faria pelo menos quatro deputados estaduais e dois federais, mas houve muita divisão de votos”, disse Nogueira.

Os demais 22 postulantes betinenses tiveram performances ainda mais desastrosas, pois concentraram os pedidos de votos e não fortaleceram suas bases do interior, ao contrário de Ivair Nogueira.

Maria Tereza Lara (PT) foi um dos vexames de 2014. Ela não conseguiu se reeleger deputada estadual, obtendo apenas 8.620 votos na cidade, quase a metade do que havia conquistado há quatro anos (16.890). No cômputo geral, a votação dela despencou de 37.442 para 22.746 votos.

Já o deputado estadual Pedro Ivo Caminhas, o Pinduca (PP), prejudicado por ter seu nome incluído na lista dos “fichas sujas”, ainda aguarda decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para saber se terá os seus votos computados. Mesmo se tiver, ele não voltará para a Assembleia Legislativa. Considerado como o “deputado do povão”, Pinduca conseguiu 25.343 na cidade, reduzindo sua votação de 2010, que foi de 26.640. No Estado, ele obteve 58.041 e, por 47 votos, não teve seu mandato renovado.

Os novos nomes que se lançaram buscando uma vaga na Assembleia não conseguiram conquistar eleitores suficientes. Sapão (PSB), que esperava obter em Betim mais de 40 mil votos, decepcionou. As ajudas do prefeito Carlaile Pedrosa (PSDB) e do presidente da Câmara, Marcão Universal, além do apoio da grande maioria dos vereadores, não significaram muita coisa. Em Betim, Sapão teve 23.249 votos. No geral, 29.659 votos.

Geraldo Pimenta (PCdoB), assim como em 2010, não se elegeu. Em Betim, ele obteve 15.633 votos, seguido pelo estreante Vinícius Resende (SD), que conseguiu 12.902. O vereador Antônio Carlos (PT) conquistou 7.653 votos, e Daniel Costa (PT) obteve a preferência de 6.816 eleitores da cidade.

Adeus, Brasília Desde 2012, com a eleição de Carlaile Pedrosa para prefeito da cidade, Betim não tem representante na Câmara Federal. Essa condição vai permanecer por pelo menos mais quatro anos. Rômulo Veneroso (PV), que tentou a vaga pela primeira vez, obteve 21.571 votos em Betim, número inferior ao da eleição de 2010, quando foi o candidato a deputado estadual mais votado no município, com 27.790. Somando os eleitores de outras cidades, ele chegou a 33.373 votos.

Maria do Carmo Lara (PT), que saiu da prefeitura em 2012 com alta taxa de rejeição, também não conseguiu. MDC obteve 26.015 votos em Betim, a menor votação de sua história depois de ter se tornado prefeita. No resultado geral, chegou a 44.527 votos. O vereador Renato Ti-Rei (PSDC) contou com 12.982 votos entre betinenses e moradores de fora.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave