Damião marca após críticas e decide vitória santista

Um dia depois de ser criticado pelo ex-presidente do Santos, atacante reagiu e foi decisivo no jogo contra o Bahia

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Damião ficou nada menos que cinco meses sem balançar as redes
Ivan Storti/Santos FC
Damião ficou nada menos que cinco meses sem balançar as redes

O Santos cansou de perder chances diante do Bahia, nesta quinta-feira à noite, na Vila Belmiro. Apesar de uma furada bizonha no segundo tempo, na cara do gol, quem decidiu foi Leandro Damião. Criticado na véspera pelo ex-presidente Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, o centroavante deixou o dele na vitória por 1 a 0 sobre os baianos, pela 27.ª rodada do Brasileirão.

Com a vitória, o Santos foi a 42 pontos, em sétimo, passando o Fluminense, que tem a mesma pontuação mas fica atrás pelos critérios de desempate. O Bahia beira a zona de rebaixamento, com 30 pontos. Domingo, recebe a Chapecoense, enquanto o Santos visita o Criciúma.

O JOGO - Mesmo sem Robinho, que serve à seleção brasileira, o Santos entrou em campo com a obrigação de vencer. Diante do seu torcedor, pressionou o Bahia para fazer o resultado no primeiro tempo e criou chances para ir para o intervalo com placar elástico. O ataque, porém, cansou de perder gols.

A bola só entrou num lance de sorte. Patito avançou pela esquerda e cruzou. Leandro Damião se antecipou à zaga e cabeceou. A bola, que iria para fora, desviou em Demerson e morreu no fundo das redes de Marcelo Lomba.

A lista de chances desperdiçadas, porém, foi bem mais extensa: Damião, a 1 minuto, pelo alto; Geuvânio, em chute fraco, aos 6; Damião novamente, nas costas da zaga, aos 31; o centroavante de novo, desta vez de bicicleta, aos 39; e, finalmente, Patito, sozinho na área, que parou em boa defesa de Marcelo Lomba, aos 44. O Bahia quase não jogou no primeiro tempo e só chegou uma vez com perigo, mas com chance clara de empatar. Rafael Miranda perdeu na cara de Vladimir.

Na saída para o intervalo, Damião foi questionado sobre as críticas feitas por Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, ex-presidente do clube, na quarta-feira. O centroavante botou panos frios: "Não dou resposta a ninguém. As pessoas que estão ao meu redor cuidam disso. Torcedor sabe que estou batalhando para fazer meu trabalho. Enquanto estiver aqui dentro, vou batalhar para ajudar o Santos. Joguei cinco anos no Inter e nunca tive problema com dirigente. Não será aqui."

No segundo tempo, com Damião, o Santos continuo chegando com perigo e finalizando mal. O próprio centroavante, chamado de "pangaré" por Laor, furou de forma ridículo na frente do gol. Geuvânio, por outro lado, teve azar. Pedalou na frente do zagueiro e, de fora da área, mirou o ângulo. A bola bateu no travessão.

O Bahia respondeu na mesma moeda. Pouco depois, Marcos Aurélio bateu falta de longe e carimbou a trave esquerda de Vladimir. Os dois técnicos fizeram logo todas as substituições possíveis, mas o jogo merecia mesmo um placar magro. Nos acréscimos, Kieza ainda perdeu de cabeça na pequena área.

FICHA TÉCNICA:

SANTOS 1 X 0 BAHIA

SANTOS - Vladimir; Cicinho, Edu Dracena, David Braz e Caju; Arouca, Souza, Lucas Lima e Patito Rodríguez (Gabriel); Geuvânio (Rildo) e Leandro Damião (Leandrinho). Técnico - Enderson Moreira.

BAHIA - Marcelo Lomba; Railan, Lucas Fonseca, Demerson e Pará; Fahel (Diego Macedo), Rafael Miranda, Léo Gago (Marcos Aurélio) e Emanuel Biancucchi; William Barbio (Maxi Biancucchi) e Kieza. Técnico - Gilson Kleina.

GOL - Leandro Damião, aos 10 minutos do primeiro tempo. ÁRBITRO - Jean Pierre Gonçalves (RS). CARTÕES AMARELOS - David Braz (Santos); Kieza (Bahia). RENDA - R$ 141.420,00. PÚBLICO - 6.184 pagantes. LOCAL - Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP).

Leia tudo sobre: santosdamiaoatacantebahiafutebol