Em estreia na TV, Dilma exibe governadores e Aécio, novos apoios

Primeiro a entrar no ar, o programa de Dilma lembrou a vitória de candidatos aliados na disputa pelo governo de 15 das 27 unidades da Federação; Aécio citou Tancredo e Eduardo Campos

iG Minas Gerais | Ricardo Corrêa |

Na primeira noite de horário eleitoral do segundo turno, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) tentaram realçar a força de seus apoios na televisão. Enquanto a presidente escolheu apresentar os governadores e senadores eleitos por legenda que apoiam sua candidatura, Aécio usou depoimentos nos atos de apoio de Eduardo Jorge (PV), Pastor Everaldo (PSC) e dos partidários do PSB e do PPS.

Primeiro a entrar no ar, o programa de Dilma lembrou a vitória de candidatos aliados na disputa pelo governo de 15 das 27 unidades da Federação, sendo dez deles já eleitos. E fez questão de realçar, logo de cara, a conquista de Fernando Pimentel (PT) em Minas Gerais, "onde o PSDB governou por 12 anos". O partido festejou o fato de ver 304 parlamentares, dos 513 que irão compor a nova legislatura, nas fileiras aliadas.

Fernando Pimentel foi o primeiro a dar seu depoimento, afirmando que a vitória em Minas se deu no "território do adversário". Depois disso, apareceram Rui Costa (PT), eleito na Bahia, Renan Filho (PMDB), vencedor em Alagoas, e Raimundo Colombo (PSD), de Santa Catarina. Também apareceram Tião Viana (PT-AC), Marcelo Miranda (PMDB-TO), Wellington Dias (PT-PI), entre outros. O programa fez várias comparações com o PSDB, "projeto que o adversário representa", nas palavras de Dilma. Um apresentador citou o fato de Fernando Henrique Cardoso ter chamado aposentados de vagabundos em seu período no poder, e afirmou que ele considera os mais humildes "ignorantes", em referência à declaração do ex-presidente, que afirmou que os eleitores petistas são "menos informados". O programa de Dilma citou o fato de o Brasil ter se tornado o segundo do mundo em desemprego naquele período e que o país chegou a ter 50 milhões de indigentes naquela época.

Logo em seguida, o programa de Aécio Neves foi ao ar citando Tancredo Neves, avô do candidato do PSDB. Aécio afirmou que o grande vencedor do primeiro turno foi o povo brasileiro e conclamou eleitores que votaram em branco ou nulo que, segundo ele, "de alguma forma também querem mudanças". O senador do PSDB foi apresentado novamente pelo programa, que citou o início de carreira ao lado de Tancredo e a passagem pelo governo de Minas, lembrando que o tucano "deixou o cargo com 92% de aprovação".

O programa do PSDB também usou de comparações entre os modelos de gestão petista e tucano e questionou: "O que você prefere? Mudar com Aécio ou seguir com Dilma?".

Na reta final da peça, os tucanos apresentaram os apoios obtidos no segundo turno, usando depoimentos de Eduardo Jorge, Pastor Everaldo e Roberto Freire. Este foi citado como "presidente do PPS, que estava com Marina". O apoio do PSB foi apresentado como "o apoio do partido de Eduardo Campos".

Por fim, o programa de Aécio citou pesquisa do instituto Paraná Pesquisas, e publicado pela revista "Época", que coloca o tucano com oito pontos de vantagem sobre a presidente Dilma: 54% a 46%. Aécio ainda exibiu uma nova logomarca, que estiliza a bandeira do Brasil, no lugar da peça que representava o "V" do voto na urna.

Leia tudo sobre: horário eleitoraleleiçõespolíticaDilmaAécio