Marilson fica fora do pódio nos 10.000m no Troféu Brasil

Atleta ficou em quarto lugar na prova disputada no Ibirapuera, em São Paulo, cravando o tempo de 29min17s79

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Divulgação/COB
undefined

Preparando-se para disputar a Maratona de Amsterdã, na próxima semana, na Holanda, Marilson Gomes dos Santos foi só o quarto colocado nos 10.000 metros, a prova mais aguardada do primeiro dia do Troféu Brasil de Atletismo, realizado no Ibirapuera, em São Paulo. A vitória ficou com o líder do ranking nacional, Giovani dos Santos.

O atleta da equipe Pé de Vento (RJ) venceu com 28min42s27, nova melhor marca da temporada no Brasil. Campeão da maratona no Pan de Guadalajara, Solonei Rocha da Silva estreou pela Orcampi (estava no Pinheiros) com a prata, numa chegada emocionante, apenas 0s25 atrás, depois de liderar a maior parte da prova. Completou o pódio o surpreendente Daniel Chaves da Silva, de 26 anos, o ASA/São Bernardo.

Marilson disputa o Troféu Brasil principalmente para somar pontos para seu clube, o BM&F Bovespa, favorito a ficar com o título geral. Ele completou a prova em 29min17s79. Franck Caldeira, outro atleta de renome nos 10.000m, não chegou ao fim da prova. Cruz Nonata, do ASA/São Bernardo, ganhou nos 10.000 metros para mulheres aos 40 anos.

As provas rápidas foram desfalcadas e não tiveram bons tempos. Nos 100m feminino, Ana Claudia Lemos Silva (BM&F) ganhou fácil, com 11s27 - fizera 11s20 na semifinal. Evelyn dos Santos foi segunda (11s61), com sua companheira de clube no Pinheiros Vanda Gomes em terceiro (11s62). Franciela Krasucki e Rosângela Santos não competiram. Bruna Jessica Oliveira Farias, campeã sul-americana sub-23 no fim de semana passado, ficou em quarto.

"Esta foi a quarta vez que venço os 100 metros no Troféu Brasil, isso é importante, mas esperava uma marca melhor, porque já fiz 11s13 este ano". "A meta, agora, é correr a prova abaixo de 11 segundos em 2015", disse Ana Cláudia.

No masculino, o vento contrário de 1,6 m/s deixou a prova mais lenta. Bruno Lins, da Fundação de Ciência, Tecnologia e Ensino (FCTE) ganhou com 10s48, seguido dos jovens Jackson Cesar da Silva (22 anos) e Rodrigo Pereira do Nascimento (20), respectivamente dois e três centésimos mais lentos. Na semifinal Bruno fez 10s33.

No martelo, caiu o recorde brasileiro, pela sexta vez no ano. Wagner Domingos, o Montanha, da BM&F, quebrou mais uma barreira ao lançar a 75,47m, superando em quase cinco metros o antigo recorde do campeonato e em 26cm o recorde nacional. Allan Wolski (Pinheiros) ficou em segundo. Entre as mulheres, o nível é baixo. A vitória ficou com Mariana Grasielly Marcelino (Orcampi) a 12 metros do recorde sul-americano, por exemplo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave