Volta Redonda Vôlei está fora da Superliga

Antecipação do mandato do presidente fez com que equipe perdesse garantias financeiras

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

CBV/Divulgação
undefined

Mesmo depois da confirmação de 12 equipes na Superliga masculina de vôlei, nada impediu que o número de participantes fosse alterado novamente. O Volta Redonda Vôlei desistiu de sua presença na principal competição do país e, agora, o torneio terá apenas 11 times.

Antes disso, houve a chance do torneio contar com 13 times, já que o Volta Redonda ainda não havia anunciado a sua saída, além da boa chance do Voleisul-Paquetá Esportes-RS participar. O time gaúcho entraria no lugar do extinto RJ Vôlei-RJ, mas como não houve unanimidade entre os times, aprovando sua participação, a equipe sulista teve que se contentar em se ver fora da competição.

"O presidente tinha seu mandato até dezembro, mas pediu a antecipação das eleições. Desta forma, perdemos as garantias financeiras que tínhamos. Achamos mais prudente encerrar as atividades do que iniciá-las e não ter suporte financeiro daqui a alguns meses. É melhor dar dois passos para trás, neste momento, para no futuro avançarmos", comenta o gerente Luiz Eduardo Fernandes. Segundo ele, os jogadores receberam a notícia com surpresa e as rescisões já começaram a ser feitas. Alguns, até, já encontraram novos clubes. "Temos um projeto de seis anos e não sei te responder se voltaremos a participar da Superliga. O presidente é quem pode responder melhor. Temos responsabilidade e, sem garantias, fica complicado permanecer na Superliga", aponta Fernandes.

Filme repetido

Antes da última temporada começar, o Volta Redonda, por pouco, não deixou de participar da Superliga. A dívida que o time tinha com vários jogadores e membros da comissão técnica, que ficaram sem receber salários por até quatro meses, foi fundamental para o imbróglio ser criado. Os pagamentos era referentes à temporada anterior.

De acordo com o regulamento da competição, qualquer equipe que não cumprisse com sua obrigação para com os funcionários correria o risco de não participar da próxima edição da competição. O Volta Redonda chegou a entrar na justiça para participar da Superliga, depois de ser informada da suspensão. 

Uma liminar foi concedida ao clube, antes de ser cassada pela CBV. Atletas da equipe chegaram a fazer um protesto na porta da entidade, na Barra da Tijuca-RJ.

Depois de muitas negociações e do clube confirmar os pagamentos, a CBV liberou a participação. No entanto, o Volta Redonda parece não ter conseguido equacionar seus problemas financeiros de forma definitiva e agora paga um alto preço pela incômoda situação.