Messi sente coxa, mas deve enfrentar o Brasil no sábado

O craque argentino deixou o gramado no meio do treinamento, após colocar a mão na coxa esquerda por duas vezes

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Seguindo os passos de Maradona, Messi é o grande craque do futebol argentino na atualidade
DOUGLAS MAGNO/O TEMPO
Seguindo os passos de Maradona, Messi é o grande craque do futebol argentino na atualidade

Lionel Messi saiu mais cedo do treino da Argentina nesta quinta-feira, em Pequim, mas não deve ser problema para o Superclássico das Américas, contra o Brasil, sábado, no estádio Ninho do Pássaro. O craque do Barcelona deixou o gramado no meio da atividade e, mesmo após colocar a mão na coxa esquerda por duas vezes, não aparentava estar machucado. Ao lado de um integrante da comissão técnica da Argentina, o atacante caminhou normalmente até os vestiários do Olympic Sports Center Stadium, mesmo local de treinamento da seleção brasileira.

Depois do treino, quando já se dirigia ao ônibus da delegação argentina, Messi andou sem apresentar nenhuma dificuldade e até sorriu para os jornalistas - o craque não parou para atender a imprensa e não foram dadas explicações sobre a sua situação.

O técnico Gerardo Martino comandou quatro minijogos contra um time das categorias de base do Beijing Guoan, clube do atacante Zizao, ex-Corinthians. Enquanto os titulares jogavam diante dos chineses em uma parte do campo, os reservas treinavam passes e finalizações na outra. Depois, o treinador inverteu a atividade dos grupos. Messi disputou apenas um minijogo e deixou o campo. Higuaín foi o seu substituto.

Pelo treino desta quinta-feira, a Argentina deve enfrentar o Brasil com uma linha de frente de peso formada por Di María, Pastore, Agüero e Messi. O treinador mudou o esquema tático utilizado na vitória por 4 a 2 sobre a Alemanha, em amistoso realizado no mês passado, e escalou os titulares com três alterações em relação ao time que atuou naquela partida.

Martino trocou o esquema 4-5-1 pelo 4-4-2. A alteração se deu graças à presença de Messi, que não atuou diante dos alemães por não estar 100% fisicamente. Assim, saiu um meia (Enzo Perez) e entrou um atacante (Messi). No meio, Pereyra ficou com a vaga de Biglia, cortado por lesão, e Pastore ganhou a disputa com a Lamela. A Argentina deve enfrentar o Brasil com Romero; Zabaleta Fernández, Demichelis e Rojo; Mascherano, Pereyra e Di Maria; Pastore; Aguero e Messi.

Leia tudo sobre: messilesaosuperclassico das americasbrasilgerardo martino