Pequena brilhante

Jovem atriz de 15 aninhos tem momento especial ao dar vida a sua primeira protagonista, a Mili de ‘Chiquititas’

iG Minas Gerais | CAIO LÍRIO |

Giovanna Grigio começou a carreira artística mais cedo do que muito famoso com anos de estrada por aí. Aos 6 meses, ela estrelou sua primeira campanha publicitária, para uma rede de supermercados. “Eu era um bebê muito gordinho e fofo!”, revelou a artista, em recente entrevista. Depois disso, não parou mais de trabalhar, chegando a apresentar o programa infantil “Band Kids”, na Band, em 2009, além de um quadro infantil no programa “O Melhor do Brasil”. Hoje, Giovanna colhe mais uma conquista ao liderar o elenco da novelinha infantil “Chiquititas”, remake do sucesso de 1997, que hoje é adaptada por Íris Abravanel. Na trama do SBT, a mocinha de 15 anos dá vida à protagonista Mili, personagem que alavancou a carreira de Fernanda Souza na versão original. Para falar mais dessa experiência única, a revista SuperTV bateu um papo com a atriz, que revelou como está sendo interpretar sua primeira protagonista. Confira!

Como começou a atuar? Comecei muito pequena fazendo comerciais de TV, depois iniciei as aulas de teatro e, então, me apaixonei de vez.

Após os testes, como você se sentiu quando soube que faria a Mili? Foi coisa de louco! Foi mais de um mês só de testes, e, quando soube que depois de tanta luta eu havia conquistado a personagem, foi muito emocionante. Queria fazer até uma festa naquele momento.

Você chegou a ver alguma coisa da primeira versão de 1997 para compor a personagem? Chegou a conversar com a Fernanda Souza? Para compor a personagem não, mas assisti a tudo para conhecer um pouco da história, já que não cheguei a acompanhar a primeira versão. Sobre a atriz Fernanda Souza, a conheci, sim, e amei! Ela é muito simpática e bonita!

Como foi toda a preparação pra viver a personagem? Sentiu alguma dificuldade? Não é fácil ser a Mili, pois sempre recebo um desafio novo. No início, foi um pouco mais desafiador por todo o processo de composição da Mili. Todos os nossos personagens ganharam forma durante o período do workshop, que, inclusive, foi muito legal. É sempre bom aprender coisas novas para somar ao que a gente já sabe.

E com os números de canto e dança da novela, teve alguma dificuldade? Dança nem tanto, pois eu já dançava, mas cantar foi uma luta! Estava acostumada a cantar só no chuveiro e nunca imaginei gravar uma música. Admito que me surpreendi comigo mesma e adorei ter a oportunidade de fazer tantas coisas diferentes.

O que tem achado do resultado da novela? Eu estou amando cada vez mais! Nós gravamos muito, trabalhamos duro, não só o elenco, mas também toda a equipe, produção e direção. Quando assisto à novela na minha casa, fico muito contente ao ver que nosso trabalho vale a pena.

Como lida com o assédio nas ruas? É tranquilo! Claro que acabo sendo reconhecida, mas nada me impede de viver normalmente. Vou ao shopping, saio com meus amigos, e tudo isso sem dor de cabeça. O pessoal tem muito respeito por mim, o que é lindo. Sempre esperam eu terminar de comer para pedir para tirar foto (risos).

Como está sendo a rotina de estudos e gravações? Corrida! Eu estudo de manhã e gravo à tarde, mas não é nada impossível. Consigo manter todas as minhas notas azuis. Realmente, vale muito a pena, principalmente quando vejo o resultado final.

Após “Chiquititas”, você pretende continuar atuando em novelas? Quais os próximos passos? Eu adoraria continuar a trabalhar em novelas, pois estou amando essa primeira experiência. Mas também penso em fazer cinema e até teatro, pois, para mim, foi lá que tudo começou. Eu tenho um carinho enorme pelos palcos, mas, por enquanto, estou focada somente em “Chiquititas”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave