Montenegro passeia por 40 anos de carreira

iG Minas Gerais | gustavo rocha |

No show, músico apresentará também canções novas ao público
laura cappelar/divulgação
No show, músico apresentará também canções novas ao público

Oswaldo Montenegro e sua longeva carreira chegam a Belo Horizonte, em um show que busca revisitar as várias facetas do músico, ao longo dos 40 anos de sua trajetória. “3x4” faz única apresentação hoje, no Cine Theatro Brasil. “Tem a parte mais confessional, tem um momento de teatralidade, tem arranjos com dificuldade técnica e tem momentos de descontração. Acho sim que minhas faces e fases estão todas ali no show”, diz Montenegro.

A ideia surgiu como homenagem e pela gratidão de Montenegro por trabalhar há tanto tempo no que gosta. O show se divide em blocos temáticos. “No primeiro bloco, ‘Festa’, homenageei os músicos que me fizeram a cabeça, meus mestres. Costurei às minhas canções mais alegres, pequenos temas de Jacob do Bandolim, Vivaldi, Villa-Lobos, Bach, Patápio Silva, numa teia muito ágil, uma música emendando na outra, uma espécie de tributo à alegria. Em outra parte, ressaltei a importância da serenata mineira na minha vida. Ter passado a infância em São João del Rei foi o que me fez músico. Nesse bloco, um cenário todo de lampiões adorna minha canções mais seresteiras, como ‘Bandolins’, ‘Estrelas’, ‘Lua e Flor’. Num outro segmento do show, abordamos, de forma bastante teatral, a influência do blues, aí todo o instrumental, figurino e cenário remetem a esse mundo. E deixei um momento para interagir com o público, bater papo e improvisar”, comenta o músico.

No show, Montenegro apresenta quatro novas canções: “A Lógica da Criação”, que compôs para o filme “Solidões”, “Pro Renato Teixeira”, que fez para o músico, “Me Ensina a Escrever” e “A Bailarina e o Rei”. Na parte retrospectiva, o artista se divide entre suas escolhas e as do público. “Há músicas que fiz há muito tempo e que faço questão de cantar, ainda são o que eu diria agora, a ideia não se perdeu com o tempo. É o caso de ‘Intuição’, ‘A Lista’ e ‘Metade’. Existem outras, como por exemplo ‘Dropes de Hortelã’, que só canto atendendo ao público no bloco em que abro o papo com a plateia. É uma música que compus para a Gloria Pires, gravei com ela e não tenho o ímpeto de tocá-la sozinho. É claro que quando a galera pede, faço isso com prazer”, pontua.

Em outros casos, o desafio de compor arranjos mais arrojados o motivaram a revisitar suas canções. “Tive vontade pela excelência dos músicos que estão comigo nesse show. É o caso de ‘Vamos Celebrar’ e ‘Estrelas’, que tive vontade de saber como ficariam com esse instrumental do ‘3x4’”.

A relação de Oswaldo Montenegro com Minas Gerais é um fator que torna o show desta noite algo especial e gera expectativa nele. “Em Belo Horizonte é sempre mais emocionante porque voltar a Minas, pra mim, ainda mais nesse show, é uma coisa muito forte. Tem sido maravilhoso. O público tem embarcado nessa viagem junto com a gente. Tenho muita gratidão”, afirma.

“3x4” contraria a lógica do atual mercado musical, quando a maioria dos artistas (consagrados, inclusive) recorre aos incentivos de leis para custear sua produção. “Acho que cada um segue o caminho do seu jeito. No nosso caso, a agilidade da produção é muito importante. Preciso, por temperamento e por estilo de carreira, realizar o que imagino, sem o tempo que captar patrocínio exige”, finaliza Montenegro.

Agenda

O quê. Show “3x4” com Oswaldo Montenegro

Quando. Hoje, às 21h

Onde. Cine Theatro Brasil (rua dos Carijós, 258, centro)

Quanto. Plateia I - R$ 160 e Plateia II - R$ 140 (inteira)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave