Al Qaeda afirma ter matado dezenas de membros de segurança no Iêmen

Um dos braços da Al Qaeda afirmou nesta quarta-feira (8) que matou dezenas de pessoas em vários ataques simultâneos

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Um dos braços da Al Qaeda no Iêmen afirmou nesta quarta-feira (8) que matou dezenas de pessoas em vários ataques simultâneos perpetrados contra vários quartéis militares, delegacias e sedes governamentais na província Al Baida.

Segundo um comunicado divulgado pelo grupo Ansar al Sharia nas redes sociais, "dezenas de soldados do Exército pertencentes ao movimento rebelde xiita houthi morreram e sofreram ferimentos".

Nos últimos meses, a Al Qaeda acusou os militares iemenitas de pertencerem a essa milícia xiita. O grupo xiita dos houthis tomaram o controle da capital Sanaa em 21 de setembro e, desde então, tentam ampliar sua presença para outras regiões do país.

Em sua nota, Ansar al Sharia, que não cita números, explica que um suicida chamado Abu Dayana al Lahchi ateou fogo em si mesmo em um caminhão carregado com uma tonelada de explosivos em um quartel das forças da Segurança Central na cidade de Al Baida, capital da província homônima, a cerca de 270 quilômetros ao sudeste da capital iemenita.

Segundo o diretor do necrotério do hospital Al-Thawra, nove policiais morreram em um atentado suicida com carro-bomba contra o quartel-general da polícia.

O grupo terrorista também disse que foram atacadas sedes da Segurança geral e da Polícia de Salvamento, assim como o complexo administrativo do governo local de Al Baida, além de dois postos de inspeção militar nos acessos da cidade.

O grupo extremista informou que seus ataques respondem à suposta intenção do grupo xiita dos houthis de lutar contra os sunitas de Al Baida, com o pretexto de combater a Al Qaeda. A província de Al Baida é um dos mais importantes redutos da Al Qaeda no Iêmen, já que contam com um amplo apoio das tribos nas remotas zonas montanhosas da zona.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave