Aécio reúne aliados no DF em ato para inaugurar campanha do 2º turno

Será o primeiro grande evento público do tucano depois do primeiro turno, em que recebeu 33,5% dos votos contra 41,5% da presidente Dilma Rousseff

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Aecio Neves, presidential candidate of the Brazilian Social Democracy Party, PSDB, flashes a victory sign as he campaigns at the
AP
Aecio Neves, presidential candidate of the Brazilian Social Democracy Party, PSDB, flashes a victory sign as he campaigns at the "Mercadao de Madureira," or Madureira Market in Rio de Janeiro, Brazil, Tuesday, Sept. 30, 2014. Brazil will hold general elections on Oct. 5. (AP Photo/Felipe Dana)

 O PSDB e partidos aliados de Aécio Neves, candidato à Presidência, vão realizar nesta quarta-feira (8), em Brasília, um ato político em defesa do tucano. A ideia é reunir deputados, senadores e governadores eleitos e não eleitos no último domingo (5) no ato para mostrar a "força" da candidatura do senador, que vai disputar o segundo turno com a presidente Dilma Rousseff (PT).

Será o primeiro grande evento público de Aécio depois do primeiro turno, em que recebeu 33,5% dos votos contra 41,5% de Dilma.

Os tucanos escolheram o Memorial JK, em Brasília, para realizar o evento, marcado para as 15h. O local guarda os restos mortais do presidente Juscelino Kubitschek e é um museu em homenagem ao ex-dirigente do país.

"Será a comunhão de pessoas que apoiam a candidatura do Aécio. Esse sentimento de virada continua presente. Ele passou clareza ao país, mostrando que tem condições de derrotar a presidente Dilma", disse o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), coordenador jurídico da campanha de Aécio.

O candidato do PSDB disse nesta terça (7), em entrevista em São Paulo, que o ato será um "grande esforço" para movimentar os correligionários rumo ao segundo turno. "Estarei reunindo nossos companheiros de todo o Brasil e vamos fazer ali um grande esforço, uma grande movimentação, já para que cheguemos no segundo turno na frente e vençamos as eleições."

O ato deve reunir tucanos como José Serra (SP), Geraldo Alckmin (SP) e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que ainda não confirmou presença oficialmente. Além de políticos do PSDB, vão participar do ato integrantes do DEM, Solidariedade e PPS, que deve declarar nesta tarde oficialmente seu apoio ao tucano.

O presidente do PPS, Roberto Freire (SP), defendeu publicamente a adesão do partido à candidatura de Aécio. No primeiro turno, a sigla apoiou Marina Silva (PSB), derrotada no último domingo.

A expectativa é que o PSB também declare apoio a Aécio nesta quarta. Nos bastidores, os tucanos articulam a ida de Aécio ao encontro de Marina em Brasília --onde também se reúne a cúpula do PSB-- para que a ex-candidata declare oficialmente a adesão à campanha do tucano.

O PSDB espera que outros partidos da coligação de Marina, como a Rede, o PPL e o PSL também declarem apoio à candidatura de Aécio.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave