Bibliotecário suspeito de estuprar crianças em escola é achado morto

Suspeito de abusar de cinco crianças no interior de escola municipal foi encontrado dentro do banheiro de sua casa, no bairro Nacional

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Um bibliotecário de 34 anos que foi acusado na última sexta-feira (3) de ter abusado sexualmente de cinco crianças na Escola Municipal Glória Marques Diniz, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, foi encontrado morto no interior de sua casa, no bairro Nacional, na tarde desta terça-feira (7). A Polícia Militar (PM) ainda não soube precisar se o homem foi assassinado. 

De acordo com as informações iniciais da corporação, a corporação foi acionada por volta das 12h13 na rua Lúcia Muniz. Após entrarem na residência do suspeito, os militares localizaram o corpo no interior do banheiro da casa. Porém, existe a suspeita de homicídio por que haviam marcas de sangue espalhadas por toda a residência. 

A perícia e o rabecão da Polícia Civil (PC) foram acionados e são aguardados na cena do crime. O bibliotecário foi denunciado à PM na sexta-feira pela mãe de um garoto de 10 anos, que teria tentado furtar um DVD pornográfico, o que levantou suspeitas da mulher. Após o ocorrido, o menino se manteve calado e arredio por alguns dias, até que o irmão mais novo, de 6 anos, chamou a mãe e contou sobre os abusos.

Segundo a criança, também aluna da escola, há dois anos ela vinha sendo levada pelo funcionário até a biblioteca, onde era abusada. O homem de 34 anos colocava o menino no colo e tentava fazer sexo anal com ele. A mesma história teria acontecido com o irmão.

A PM foi até a escola, onde o bibliotecário foi detido. Durante a abordagem, outras duas mães apareceram, relatando outros abusos. A mãe de outros dois alunos de 7 e 8 anos contou que os filhos relataram também ter sido colocados no colo. Em outras situações, o homem chegou a tirar a roupa e passar o órgão genital no rosto deles. Além disso, uma menina de 7 anos também foi vítima do bibliotecário, passando por situações semelhantes.

Na biblioteca da escola foram apreendidos um notebook, um tablet, um pendrives e DVDs diversos. No entanto, a polícia não soube precisar o conteúdo do material apreendido, e se todos eram de uso pessoal do funcionário ou se pertenciam a escola.

No sábado (4), o secretário adjunto de Educação de Contagem, Ademilson Ferreira, informou que o caso será investigado pela corregedoria da Prefeitura de Contagem e, se confirmado, o servidor poderá ser exonerado do cargo. "Não temos esse histórico na rede de educação de Contagem, foi um fato isolado. Mas obviamente um fato desse não pode acontecer, e vamos tratar com muito rigor", afirmou.

O secretário ainda ressaltou que o município prestará auxílio psicológico às vítimas e suas famílias, já a partir de segunda-feira.

Aguarde mais informações