Crescimento da oposição faz Bovespa disparar e dólar cair

Ações da Petrobras tiveram valorização de 11,44% ; bancos também foram destaques

iG Minas Gerais | Queila Ariadne |

Valorizada. Petrobras PN saltou 11,12%, maior ganho desde 8 de dezembro de 2008
Felipe Dana
Valorizada. Petrobras PN saltou 11,12%, maior ganho desde 8 de dezembro de 2008

O mercado adorou o resultado do primeiro turno das eleições. O dólar caiu 1,78% (R$ 2,42) e o Ibovespa, principal índice da Bolsa, disparou 4,72% – a maior alta diária desde julho de 2012. Os destaques foram as ações das estatais e dos bancos. Os papéis das estatais subiram. A Petrobras foi o destaque com alta de 11,44% no fechamento do mercado. No fim da manhã, superou 15%.

Segundo o professor de economia da faculdade IBS da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Mauro Rochlin, os investidores entenderam o avanço de Aécio Neves como sinal de uma era menos intervencionista.

“O governo Dilma controlou demais o preço da gasolina para fazer políticas inflacionárias. Com isso, a Petrobras deixou de fazer caixa e aumentou os gastos para importar gasolina até 15% mais cara. Agora, o mercado entende que, sem tanta intervenção, a estatal conseguiria ajustar melhor os preços”, explica.

Sem adotar a intervenção, os juros se tornam a melhor saída para controlar a inflação. A possibilidade também agradou aos investidores e as ações dos bancos dispararam. Os papéis do Bradesco PN subiram 7,56%, os do Itaú Unibanco PN subiram 5,36% e os do Banco do Brasil subiram 11,92%.

O professor de economia do Ibmec, Reginaldo Nogueira, afirma que essa euforia veio da surpresa do número de votos do Aécio. A última pesquisa DataFolha mostrou que Dilma teria vantagem de 18 pontos percentuais. Nas urnas, essa diferença caiu para 8 pontos.

“Embora a probabilidade da Dilma vencer ainda seja maior, o avanço do Aécio aumenta as chances da oposição e faz o mercado acreditar que o governo reduzirá o controle sobre a Petrobras e sobre o setor elétrico”, avalia Nogueira.

As ações da Eletrobras subiram 6,45%. As da Cemig subiram 3,52%. Apesar da expectativa de queda, com a vitória da oposição no Estado de Minas Gerais, onde Fernando Pimentel venceu após 12 anos de PSDB, a influência do ganho de votos do Aécio foi maior.

Os sinais de menos intervenção e alta nos juros alegram o mercado, mas indicam que o consumidor terá alta nos preços da gasolina e da energia. “Na verdade, esses aumentos já aconteceriam de qualquer maneira, mas a incerteza de quando acontecerá, quando há intervenção, é que o que afeta o mercado”, justifica o professor do Ibmec.

Previsões

Focus. O próximo governo terá que subir os juros mais cedo. A previsão era elevar a taxa Selic em setembro de 2015. A última pesquisa antecipou para março, com alta de 11% para 11,5%.

Efeito das urnas

18 pontos diferença de votos entre Dilma e Aécio, por pesquisas

8 pontos diferença real de votos registrada nas urnas

4,72% alta da Bovespa, a maior desde agosto de 2011

Comportamento da Bolsa de Valores

Histórico do Ibovespa em 2014

-2 de jan: 50.341 ( -2,26%)

-18 de ago: 57.560 ( 1,05%) (um dia antes do início do horário eleitoral)

-3 de set : 61.837 ( -0,09%)

-3 de out: 54.539 ( 1,91%)

-6 de out : 57.115 ( 4,72%) (um dia depois do resultado do primeiro turno)

As estatais mineiras (ontem) Copasa: 0,39%

Cemig

Cotações de ontem Maiores altas : 3,52% -Brasilon NM : 12,26%

-Petrobras PN: 11,23

-PDG Realton NM: 10,68

-Petrobras ON: 10,11%

Maiores baixas -Marfrig NM: 9,22% -Suzano Papel PNA N1:-2,87 -OIPN N1: -2,45

-ALL Amer Laton NM: -1,09

-Fibria ON NM: -0,42

-Embraer On NM: -0,38

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave