Governo de unidade palestino debate reconstrução de Gaza

O encontro acontece três dias antes de uma conferência internacional em que o governo palestino deve pedir US$ 4 bilhões para reconstrução da Faixa de Gaza

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O governo de unidade palestino vai realizar sua primeira reunião oficial na Faixa de Gaza nesta quinta-feira (9), informou o vice-primeiro-ministro palestino, Mohammed Mustafa. O encontro acontece três dias antes de uma conferência internacional em que o governo palestino deve pedir US$ 4 bilhões para reconstrução da Faixa de Gaza, após o recente conflito de 50 dias entre Israel e o grupo extremista Hamas.

O objetivo da reunião é "avaliar a situação no local e enviar uma mensagem aos doadores na conferência de que o governo está pronto para começar a reconstrução em breve", afirmou Mustafa. Países doadores veem o governo de unidade de especialistas independentes, liderado pelo presidente da Autoridade Palestina apoiado pelo Ocidente, Mahmoud Abbas, como elemento chave para qualquer plano de reconstrução.

O governo de unidade vai se encontrar na ex-residência de Abbas em Gaza, de acordo com Mustafa. Abbas saiu de Gaza desde que o Hamas assumiu o controle da região e não está claro quando ele pode retornar ao território.

Durante o último conflito em Gaza, que acabou no final de agosto mais de 2.100 palestinos foram mortos, sendo a maioria civis, além de 66 soldados israelenses e seis civis, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU). Mais de 60.000 casas e de 5.000 lojas foram destruídas, segundo dados do governo palestino e da ONU.

Uma das principais questões da reconstrução é o bloqueio de material de construção na fronteira com Israel. O país restringiu a importação de materiais como cimento e aço a fim de evitar que fossem usados pelo Hamas para construir abrigos subterrâneos e túneis de ataque.

Mustafa afirmou que alguns materiais de construção poderiam entrar em Gaza durante esta semana, o que ele descreveu como uma fase de teste. Autoridades da ONU informaram que têm negociando um acordo com Israel para que as importações aumentem gradualmente. Inspetores da ONU e forças de segurança locais vão instituir pontos de inspeção em Gaza para assegurar que os carregamentos não sejam desviados. Mustafa também anunciou que cerca de 3.000 soldados de Abbas serão enviados para Gaza em breve. Ele não informou mais detalhes.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave