Em reação a Aécio, Dilma inicia ataques a adversário nas redes sociais

No fim da manhã desta segunda-feira (6), a candidata publicou em seu perfil oficial no Twitter mensagens em que reapresenta propostas para um eventual segundo governo

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Para conter o expressivo crescimento de Aécio Neves (PSDB) na corrida à Presidência da República, a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, não quer dar trégua em sua campanha e já iniciou os ataques ao tucano nas redes sociais.

No fim da manhã desta segunda-feira (6), a candidata publicou em seu perfil oficial no Twitter mensagens em que reapresenta propostas para um eventual segundo governo. Ao falar de economia, Dilma disse que irá melhorar o setor, "mas sem desempregar ou fazer arrocho salarial, como fez o governo do PSDB".

Em seguida ela diz que "o povo brasileiro não quer de volta aqueles que trouxeram o racionamento de energia". Em outra referência direta aos governos do PSDB, Dilma afirma que irá produzir as "mudanças necessárias na condução da política econômica. Mas não deixará voltar o tempo em que a riqueza do país não era distribuída e as crises eram combatidas às custas do trabalhador e de seu emprego e salário".

Mais cedo, a petista agradeceu, por meio do Facebook, os votos que recebeu em todo o país. "Como diz o Lula, a luta continua", escreveu. Nas duas redes sociais, Dilma voltou a defender propostas para a saúde, segurança pública, educação e o combate à corrupção.

Pelo Facebook, Aécio diz que "a grande mudança" já começou "para darmos ao Brasil um governo honrado, digno e eficiente". Pelo Twitter, o tucano pede que seus eleitores não se dispersem. Nas duas redes sociais, Aécio publicou um vídeo de cerca de um minuto com imagens gravadas neste domingo (5).

No primeiro turno, a presidente Dilma teve 41,59% dos votos válidos, seguida por Aécio (33,55%) e Marina (21,32%).

A virada de Aécio na reta final para o primeiro turno surpreendeu e teve forte influência no maior colégio eleitoral do país. No Estado de São Paulo, com quase 32 milhões de eleitores (22,4% dos 142,8 milhões de eleitores), o senador Aécio Neves conquistou mais de 10 milhões de votos, cerca de 44,22% dos votantes.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave