Fernando Haddad promete fazer "o que Dilma quiser" no 2º turno

Considerado peça-chave na estratégia de mudar desempenho da petista em São Paulo, prefeito da capital paulista prometeu fidelidade

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Na semana passada, MEC descartou duas edições neste ano
Roberto Stuckert Filho/PR
Na semana passada, MEC descartou duas edições neste ano

Um dia após o primeiro turno das eleições para presidente do Brasil, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), afirmou que vai fazer o que a presidente Dilma Rousseff quiser para conseguir captar mais votos a seu favor no segundo turno em São Paulo. Questionado sobre o que faria nas próximas semanas para ajudar a candidata do PT, Haddad respondeu: "O que ela (Dilma Rousseff) quiser".

Ao seu estilo, longe dos holofotes, o prefeito de São Paulo já vinha participando efetivamente da campanha pela reeleição da presidente. Tido como peça fundamental na estratégia de tentar melhorar o desempenho de Dilma no maior colégio eleitoral do país, em setembro ele liberou o secretário municipal de Relações Institucionais, Paulo Frateschi, para se dedicar à campanha até o fim da disputa.

Além disso, o prefeito tem estimulado auxiliares a participarem de atividades de campanha. Ainda no fim de setembro, 150 funcionários de alto escalão da prefeitura, entre eles a vice-prefeita, Nádia Campeão, e vários secretários, estiveram em plenária da candidatura de Dilma.

Servidores das secretarias das Mulheres, do Trabalho e da Educação que apoiam a presidente fizeram reuniões de mobilização, e funcionários aproveitam o horário de almoço para panfletar e fazer campanha pró-Dilma. Com a iniciativa, Haddad pretende também melhorar a exposição de suas iniciativas na capital paulista e, com isso, tentar aprimorar sua avaliação entre o eleitorado paulistano.