'Sujeira eleitoral' é recolhida por 900 garis em Belo Horizonte

Além do santinhos, 21.500 cavaletes danificados e largados pela cidade, já foram recolhidos desde às 7h30, segundo a SLU

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

Na manhã desta segunda-feira (6), 900 garis da área de varreção da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) de Belo Horizonte foram deslocados para as áreas onde houveram votação no primeiro turno das eleições.

O destaque, segundo a assessoria da SLU, é para a região Centro-Sul e Leste da capital, onde a concentração de papéis é maior. Desde às 7h30 já foram recolhidos 21.500 cavaletes danificados, largados pela cidade, 9.000 deles só na região Centro-Sul. 

Os outros 500 garis continuam realizando o trabalho normal de varreção da cidade e devem ter a companhia dos colegas que fazem a limpeza da "sujeira da eleição" até o final desta manhã.

O trabalho da SLU é feito em parceria com o Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), para que a cidade não fique prejudicada com o crime cometido pelos candidatos.

"Sujeira não é legal"

O TRE-MG orientou aos candidatos que a partir das 18h desse sábado (4) que entregassem os materiais gráficos de campanha em unidades do Corpo de Bombeiros de Belo Horizonte para que tenham uma destinação ambientalmente correta. Os santinhos, cartazes, e demais peças gráficas poderiam ser devolvidos voluntariamente até as 18h do domingo, dia 5 de outubro. Contudo, não seguiram a recomendação.

 

Leia tudo sobre: sujeiraeleiçãosantinhocavaletesgaris