Casos de selfies em cabine de votação serão julgados sem pressa

Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) afirmou que os autorretrato dentro da cabine de votação serão julgados sem precipitações pela Justiça Eleitoral

iG Minas Gerais |

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Dias Toffoli, disse neste domingo que os casos envolvendo eleitores que fizeram selfies (autorretratos fotográficos, tirados geralmente com smartphone ou webcam e postados em redes sociais) dentro da cabine de votação serão julgados sem precipitações pela Justiça Eleitoral. Durante todo o dia, internautas postaram em suas páginas pessoais nas redes sociais fotos ao lado da urna eletrônica, o que é considerado crime eleitoral, por quebrar o sigilo do voto.

Em entrevista coletiva para divulgação do balanço final das eleições em todo o país, Toffoli explicou que a orientação da Justiça Eleitoral era para que o eleitor fosse proibido de usar celulares dentro da zona eleitoral para resguardar o sigilo do voto e para evitar que coação. No entanto, os casos precisam ser investigados, disse o ministro.

"Ninguém sabe se esse selfie é dessas eleições, se é de outra, se foi tirado em uma urna verdadeira, ou não. Não podemos prejulgar nada. Vamos julgar isso no devido tempo, com a devida calma, sem precipitações, enfatizou.

Durante a votação, vários internautas divulgaram nos perfis pessoais fotos em que mostravam os números que digitaram e a foto dos candidatos. Um vídeo foi postado, mostrando desde o momento em que o número do candidato a presidente foi pressionado até a confirmação do voto.

Agência Brasil

Leia tudo sobre: eleições 2014políticaselfiestsecrime eleitoral