TRE determina a prisão de candidato que deu tapa na cara de eleitora

Coronel Brito é candidato à vaga de Alagoas ao senado pelo PEN. Marido da vítima conta que confusão ocorreu porque ele queria furar fila

iG Minas Gerais | Da Redação |

A Polícia Militar de Alagoas realiza buscas para localizar o coronel da reserva Marcos Antônio Brito, candidato ao Senado pelo PEN, suspeito de agredir uma mulher no local de votação com um tapa no rosto na tarde deste domingo (5).

A agressão foi filmada na escola Padre Pinho, no bairro de Cruz das Almas, em Maceió, e o vídeo circula por redes sociais e aplicativos de celulares no Estado. O juiz eleitoral Geraldo Amorim determinou a prisão do candidato, conhecido como Coronel Brito. O Ministério Público Estadual investiga a agressão. A vítima, Marta Celeste de Oliveira, foi ouvida por promotoras e fez exame de corpo de delito no IML (Instituto Médico Legal).

Nas imagens, Marta Celeste aparece discutindo com o coronel, com o dedo em riste e chamando o candidato de "cabra safado". Na sequência, ela leva o tapa. No IML, ela contou que Brito chegou à seção onde vota e furou a fila. Após ter sido vaiado por eleitores que esperavam horas para votar e se sentiram lesados, o militar votou e depois retornou à seção com assessores, onde ameaçou prender um dos manifestantes.

No vídeo, após a agressão, o candidato foi xingado por outros eleitores que estavam na fila e viram o tapa. Na sequência, segundo Maria Celeste, o coronel saiu do local escoltado por assessores e sob a proteção de policiais militares, que deveriam ter dado voz de prisão em flagrante.

Marta Celeste fez denúncia na Central de Flagrantes e disse que vai procurar a Corregedoria-Geral da Polícia Militar para denunciá-lo.

A reportagem tentou, mas não conseguiu falar com o Coronel Brito nem com sua equipe.

O comando da PM de Alagoas informou, em nota, que a vítima foi encaminhada à Central de Flagrantes e orientada a procurar a corregedoria da corporação. Segundo a nota, duas guarnições da PM estão realizando diligências para encontrar o coronel. A polícia informou ainda que irá abrir procedimento administrativo para apurar possível transgressão cometida pelos PMs que faziam a segurança da seção eleitoral.

Folhapress

 

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave