Presidente do TSE diz que 'selfies' devem ser investigados

Apesar de proibido, vários eleitores postaram fotos na internet dentro da cabine de votação; atitude é crime e pode dar cadeia

iG Minas Gerais | Folhapress |

Eleitor registra momento em vota
Reprodulção / Tumblr
Eleitor registra momento em vota

O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Dias Toffoli disse neste domingo (5) que o tribunal precisará investigar os casos de eleitores tirando fotos das urnas eletrônicas em que votam. A prática é proibida pela legislação eleitoral.

Segundo o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), a preocupação da Justiça Eleitoral não está ligada à "vaidade" dos eleitores, mas à possibilidade do registrarem seu voto por algum tipo de coação ou como prova para a venda do sufrágio.

"O que mais preocupa não é a vaidade, é aquela situação em que a pessoa é coagida a levar um elemento de prova a quem a coagiu para mostrar que ela votou. Por isso a Justiça não deixa levar máquina fotográfica (...) uma 'selfie' é mais vaidade, mas analisaremos e aprimoraremos as maneiras de fazer esse controle", disse.

O texto da Lei das Eleições diz que, na cabine eleitoral, "é proibido ao eleitor portar aparelho de telefonia celular, máquinas fotográficas, filmadoras, equipamento de radiocomunicação ou qualquer instrumento que possa comprometer o sigilo do voto" Segundo a lei, os aparelhos devem "ficar retidos na Mesa Receptora enquanto o eleitor estiver votando".

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave