'Históricas são as vitórias', diz Pimentel após falar em derrotar PSDB

Declaração foi dada após ele ter dito que estava próximo de aplicar uma "derrota histórica" ao grupo político do senador e presidenciável do PSDB, Aécio Neves

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Fernando Pimentel já compareceu a sua zona eleitoral, na Escola Leopoldo de Miranda, no bairro Santo Antonio de Belo Horizonte
UARLEN VALÉRIO/O TEMPO
Fernando Pimentel já compareceu a sua zona eleitoral, na Escola Leopoldo de Miranda, no bairro Santo Antonio de Belo Horizonte

Ao votar na manhã deste domingo (6) em Belo Horizonte, o candidato do PT ao governo de Minas Gerais, Fernando Pimentel, disse que "não há derrota histórica, mas vitória histórica". A declaração de Pimentel, que liderou as pesquisas eleitorais durante toda a disputa e pode vencer no primeiro turno, foi dada após ele ter dito que estava próximo de aplicar uma "derrota histórica" ao grupo político do senador e presidenciável do PSDB, Aécio Neves.

Pimentel tem como principal adversário o tucano Pimenta da Veiga, que defende o grupo político de Aécio no poder em Minas há 12 anos. Questionado sobre o significado dessa "derrota histórica", Pimentel contemporizou: "Eu não vou comentar ainda porque ela não se configurou. Depois, eu não acho que as derrotas sejam históricas, históricas são as vitórias".

"Aqui, se configurar, será uma vitória, essa sim, histórica do povo de Minas. Mas vamos esperar, quem fala são as urnas", completou. Pimentel votou por volta das 9h30 em uma escola do bairro Santo Antônio, na zona sul da capital mineira.

Ao analisar a sua campanha, ele disse que a proposta de governo que fez ao eleitor foi bem recebida pela população e que ela representa algo "muito diferente do que está aí". Ao fazer o contraponto, ele voltou a criticar indiretamente as gestões do PSDB por "não ouvir" as pessoas, crítica que fez diretamente durante toda a campanha.

"É a proposta de um governo próximo das pessoas, participativo, aberto para a participação do cidadão, um governo mais carinhoso com o nosso povo, a nossa gente, um governo que leve em conta as diferentes regiões do Estado, da suas culturas locais. Enfim, um governo voltado para Minas", disse.

Crescimento tucano

Pimentel evitou todo o tempo se considerar vitorioso no primeiro turno. Pesquisa Datafolha o coloca com 54% dos votos válidos, mas o instituto considera que a subida do presidenciável Aécio Neves nas pesquisas pode ajudar o candidato tucano Pimenta da Veiga. "A expectativa é muito positiva, mas vamos esperar as urnas serem abertas e os votos contados. Eu respeito o voto dos mineiros" disse.

"Mais uma vez, ele repetiu o seu discurso de campanha. "Minas não tem dono, não tem rei, não tem imperador. Aqui quem manda é o povo de Minas, Então vamos aguardar o voto do povo de Minas. Eu fico feliz com aquilo que recolhi na nossa caminhada por Minas. Muito carinho, muita audiência do nosso povo, muita adesão da nossa candidatura. Vamos aguardar", completou. Folha Press

Leia tudo sobre: pimentelcandidatogovernominaseleiçõesPT