STF não deve livrar candidaturas barradas pelo TSE, diz Lewandowski

Candidatos que tiveram o registro barrado pelo TSE, como o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP), ainda poderão ter recursos analisados pelo Supremo

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |


Deputado ficha-suja fez carreata ontem, mesmo barrado pelo TSE
WILLIAM VOLCOV
Deputado ficha-suja fez carreata ontem, mesmo barrado pelo TSE

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) Ricardo Lewandowski afirmou que o tribunal deverá confirmar a maioria das decisões já tomadas pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) quanto às candidaturas de 2014.

Candidatos que tiveram o registro barrado pelo TSE, como o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP), ainda poderão ter seus recursos analisados pelo STF e por isso seus nomes estão nas urnas no pleito deste domingo (5). Segundo Lewandowski, "o Supremo Tribunal Federal, como regra, tem confirmado as decisões do TSE, especialmente porque três ministros do Supremo Tribunal Federal têm assento no TSE. Essas confirmações se dão normalmente quando se trata da interpretação pura e simples da legislação eleitoral ordinária".

O ministro ressaltou, porém, que "quando houver uma matéria constitucional mais controvertida é possível que haja algum debate mais acirrado no Supremo Tribunal Federal". Lewandowski votou por volta das 8h15 deste domingo (5) na escola estadual Mário de Andrade, no Brooklin (zona sul de São Paulo). Após pegar a fila para entrar na seção eleitoral e esperar por cerca de cinco minutos, votou rapidamente e cumprimentou os mesários.

Na eleição municipal de 2012, em meio ao julgamento do mensalão, o ministro foi hostilizado por eleitores, entre eles um mesário. O presidente do STF minimizou o episódio do pleito passado. "Não houve nada. Eu saí normalmente e dei entrevista para os jornalistas. Houve um exagero por parte daqueles que não assistiram as ocorrências", afirmou o magistrado.

Estadão Conteúdo

Leia tudo sobre: fichas sujaseleiçõeslewandowskistftsecandidaturas