Confiante, Aécio provoca Dilma

Senador diz que Dilma está “assustada” e que não esperava enfrentá-lo “no segundo turno”

iG Minas Gerais | Lucas pavanelli |

undefined

O candidato Aécio Neves (PSDB) afirmou que a presidente Dilma Rousseff (PT) está “assustada” com as pesquisas que o colocam no segundo turno. A provocação aconteceu durante carreata em Santa Luzia, região metropolitana de Belo Horizonte. O tucano passou, ainda, por Ribeirão das Neves, Contagem e Betim, onde encerrou sua campanha ontem. A petista também esteve em Minas.

“Provavelmente ela está assustada. Acho que não se preparou para nos enfrentar. Vamos para o segundo turno e ganhar as eleições. Ela está percebendo onde vai se dar a disputa, e a disputa será conosco”, afirmou. Mais cedo, ele já havia provocado Dilma. “A minha orientação aos companheiros é de hospitalidade. Pena que ela não ficará aqui muito tempo porque não vota em Minas Gerais”, alfinetou.

Em Contagem, ao ficar sabendo do resultado da pesquisa CNT/MDA – em que Aécio apareceu na frente de Marina Silva (PSB), com 24% das intenções de voto –, o tucano desceu da caminhonete só para falar com a imprensa sobre os números. “Recebo com muita serenidade e, obviamente, com otimismo. Tenho percebido no Brasil inteiro que há um clima favorável à nossa candidatura. Temos que continuar caminhando até o último momento, acreditando na possibilidade de estar no segundo turno”, afirmou.

O senador evitou falar em uma aliança com o PSB no segundo turno, independentemente do resultado das urnas. Mais uma vez, Aécio elogiou Marina depois de ter sido perguntado sobre quais seriam as diferenças entre as duas candidaturas para ajudar o eleitor indeciso.

“Ninguém é melhor que ninguém. Tenho enorme respeito pela Marina, que disputa também com dignidade uma oportunidade de presidir o Brasil. Não há diferença entre nós. O que tenho é um projeto experimentado, um grupo político e de pessoas altamente qualificadas em todas as áreas. Acho que a experiência nessa hora, para o enfrentamento das dificuldades, é essencial”.

Aécio tem evitado fazer críticas a Marina, mas não relaciona esta postura a uma possível aproximação no segundo turno. “Tudo pode acontecer. Posso ir com Marina para o segundo turno”.

O candidato ainda comentou o episódio de anteontem, quando um morador do Aglomerado da Serra, na capital, se recusou a lhe estender a mão. “Tenho dificuldades de andar pelas ruas pela quantidade de pessoas que querem me cumprimentar. Foi um gesto individual que respeito. Continuarei fazendo como sempre, mesmo discordando, sendo bem-educado”.

Bastidores de um mineiro que sonha em chegar ao Planalto 

Trajetória. Morou durante parte da infância no Rio de Janeiro, onde tem amigos e a maior parte das histórias pessoais para contar. As férias eram sempre em São João del Rei.

Ligação. Aécio usou a caneta que o avô Tancredo Neves ganhou de Getúlio Vargas para assinar o documento de posse interina do Planalto, em 2001. Na ausência de FHC e de seu vice, Marco Maciel, o então presidente da Câmara assumiu a Presidência por três dias. O avô havia guardado o objeto para assinar a sua própria posse, em 1985. O momento nunca aconteceu por causa da morte prematura de Tancredo.

Oratória. Aécio tem uma leve gagueira. Ele criou uma tática para evitar pausas nas entrevistas: deixa os pés separados, lado a lado, e se movimenta de forma pendular. Em determinada exibição, um vídeo na internet chegou a sugerir que ele estava alcoolizado. Desde então, não usa mais a estratégia.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave