Mais um duelo para a história

Brasileirão 1975 e Libertadores1976 viram craques em ação com as camisas dos dois clubes

iG Minas Gerais | Bruno Trindade Guilherme Guimarães |

Que dupla! Piazza e Raul participaram de grandes duelos com o Inter no passado
Daniel Iglesias – 30.7.2011
Que dupla! Piazza e Raul participaram de grandes duelos com o Inter no passado

Cruzeiro e Internacional são duas potências do futebol brasileiro, clubes de grande tradição no cenário nacional e que, quando se enfrentam, escrevem capítulos memoráveis na história de qualquer competição. Hoje, Raposa e Colorado voltam a ficar frente a frente em um momento único no Brasileirão. A partir das 18h30, no Mineirão, o tira-teima entre o líder e o segundo colocado, na 26ª rodada da competição, reservará aos mineiros uma situação bastante favorável em caso de vitória ou deixará os gaúchos sonhando mais forte com a possibilidade de título.

Se vencer, o Cruzeiro acumulará nove pontos de “gordura” em relação ao Colorado na classificação. Em contrapartida, se perder, a equipe de Marcelo Oliveira terá apenas três tentos de vantagem para os porto-alegrenses, o que pode influenciar psicologicamente na sequência da disputa.

O encontro entre os clubes é tão emblemático que no passado marcou partidas inesquecíveis e repletas de craques. O time cruzeirense contava com talentos como Raul Plassmann, Piazza, Zé Carlos, Palhinha e Joãozinho, enquanto o escrete colorado tinha destaques como Manga, Falcão, Paulo César Carpegiani e Lula.

Em 1975, os clubes fizeram a decisão do Brasileiro. Naquela ocasião, os gaúchos foram mais felizes ao conquistarem a taça com um gol de Figueroa, no Beira-Rio lotado. O troco azul veio logo no ano seguinte, na Copa Libertadores: 5 a 4 a favor dos azuis, em um confronto considerado como o maior da história do Mineirão, onde quase 66 mil cruzeirenses pagaram para ver o grande clássico. Na partida de volta, no Sul, novo triunfo da Raposa, que seguiu para conquistar sua primeira Copa Libertadores.

Para Raul Plassmann, naquela época, não havia favorito. “Era um clássico de muita técnica. As coisas se igualavam, eram bem parecidas”, declarou o ex-arqueiro. Raul afirma que houve uma “troca” de conquistas entre os clubes pela qualidade que apresentavam. “Eles levaram a melhor no Brasileiro, com um gol do Figueroa. Mas no ano seguinte, tínhamos um Joãozinho inspirado, vencemos e caminhamos para o título da Libertadores. Nós conquistamos a América, e eles o Brasil. Acho que foi uma boa troca”, brincou Raul.

Piazza acredita que a história de mais um grande confronto entre Raposa e Inter será escrita hoje no Gigante da Pampulha. “É um jogo de seis pontos no campeonato. Se o Cruzeiro ganha, abre uma vantagem extraordinária, deixando um forte adversário para trás. Se o Inter vencer, vai ficar mais estimulado do que nunca para lutar pelo título”, analisou Piazza.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave