Menina vai para UTI após 2ª dose de vacina do HPV

Sintomas são fraqueza, dor e dificuldade de respirar, os mesmos de garotas internadas em Bertioga

iG Minas Gerais |

Só em SP, 255 mil garotas já tomaram a vacina contra o vírus HPV
Reprodução de Internet
Só em SP, 255 mil garotas já tomaram a vacina contra o vírus HPV

SÃO PAULO. Uma menina de 11 anos está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) desde quarta-feira (1º) com dificuldade para respirar, dor e fraqueza nas pernas após tomar a segunda dose da vacina contra o HPV, em São Paulo. Uma equipe da Vigilância Sanitária esteve no Hospital Municipal do Tatuapé ontem, e a Secretaria Municipal da Saúde apura se houve reação à vacina.

Segundo a família, os médicos ainda não sabem como será a recuperação da estudante Bruna Kaillany Ramos Alves. Este é o primeiro caso suspeito na capital e foi encaminhado para o Ministério da Saúde, responsável pela distribuição da vacina. Os sintomas da menina são os mesmos de três garotas que foram internadas em Bertioga, no mês passado.

A dona de casa Ana Paula Ramos Alves, mãe de Bruna, conta que a filha começou a sentir dores e formigamento nas pernas alguns dias depois de receber a segunda dose na escola municipal onde estuda. “Foi se agravando e começamos a ficar preocupados, porque ela já não estava mais tendo força nas pernas, começou a ficar com as pernas muito fracas, já caía, não conseguia mais andar”, explicou.

O pai de Bruna, Luiz Henrique dos Santos Alves, relatou ainda que a menina tem dificuldade para respirar e precisou ser entubada. “A gente vê a nossa criança que está brincando, correndo, e de repente, a gente vê a criança paralisada. Não tem como o coração não ficar abatido”, completou.

Na época da divulgação dos casos no litoral paulista, a diretora de Imunização da Secretaria Estadual da Saúde informou que a vacina é segura e que é possível ocorrer reação emocional após a aplicação. “O medo de que a injeção possa doer. A própria Organização Mundial da Saúde define esse termo: reação de ansiedade pós-imunização”, explicou. Desde 1º de setembro, cerca de 255 mil meninas já tomaram a segunda dose da vacina contra papilomavirus humano (HPV) em São Paulo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave