Ele está na moda

iG Minas Gerais |

barbara dutra
undefined

Vocês sabem com quem estão falando. Com Monsieur Paulo Borges, mas podem chamá-lo de Paulo São Paulo Fashion Week, Paulo Moda, Paulo Criatividade, Paulo Inovação, Paulo Gente Fina e Sangue Bom. Ainda bem que o cara vem sempre a Belo Horizonte. Nosso papo foi durante sua recente visita, na última quinta-feira. Querem oxigênio? Leiam a entrevista.

Paulo, o que te trouxe de novo ao Boulevard Shopping? Já é o quinto ano dessa maravilhosa parceria com o Boulevard e o grupo Aliansce. Fazemos a chamada FFWMAG Fashion Tour para falar de moda. No período em que as coleções novas estão chegando ao consumidor, queremos discutir o que está acontecendo, o que está mudando no mundo, quais são os caminhos. E o tema dessa turnê é a nova criatividade. A ideia é aproximar pessoas de moda, mas de atuações diferentes. Por isso, trouxemos para este talk-show a Mariana Weickert (modelo e apresentadora) e a Tereza Santos (do TS Studio, de BH), que é um patrimônio da moda. Como vai a moda? A moda vive uma mudança de processos no mundo todo. Com a globalização, a tecnologia e a internet, a pirâmide virou de ponta-cabeça! Nos últimos anos, passamos a novas buscas. Como as coisas estão sendo e serão feitas? O que isso influencia na criação, na velocidade das escolhas? Por que os processos, aparentemente, ficam mais comerciais? Isso é bom ou não? O jeans, em tela nessa exposição fotográfica – com editoriais sobre criatividade e street style, da edição NeoSpirit de sua revista “FFWMAG!” (até o dia 12, no Boulevard) –, sobreviveu às oscilações da economia e nunca saiu de moda; é sempre recriado, repaginado... Você tocou em dois pontos importantes. Nos momentos em que entramos em crise de processos, o jeanswear como segmento, mais do que só a roupa, é o estertor de mudança. Isso porque é o jovem quem traz o novo. Por isso é muito importante olharmos em 360 graus, nas periferias do mundo, mais como simbologia do que como localização. As mudanças acontecem de fora para dentro, e não tanto do eixo central para fora. E o jeans é histórico. Desde quando ele deixou de ser roupa de trabalho, já nos anos 50, com os grandes ícones do cinema e a irreverência da juventude, é um carro-chefe da mudança de comportamento. A mineirada volta forte ao São Paulo Fashion Week – Inverno 2015, que acontece em novembro? Desde o ano passado, temos feito uma reestruturação do line-up do SPFW, sempre buscando novos protagonistas da moda. Assim como nos esportes e nas artes, na moda é muito importante dar luz a eles. Procuramos, até pelas solicitações, esse novo protagonismo mineiro. Então, temos a Pat Bo, Apartamento 03, GIG e continuamos com Ronaldo Fraga. Ano que vem, a Coven. Na próxima semana, começa o Minas Trend. Deu certo o formato? Sempre achei o formato ótimo porque tem como ponto de partida a feira de negócios. Minas tem uma vocação para moda muito específica, e foi esse o grande acerto do Minas Trend: entender essa vocação e, a partir daí, estruturar o processo de um evento em torno dela. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave