Legado do tricampeão

iG Minas Gerais | Paulo Navarro |

Campeãs Viviane Senna entre Rebecca Suplicy Mason, Daniela Pedrosa, Rejane de Paula e Adriana Machado, no jantar que coorou a exposição “Senna na Cabeça e no Coração”, em BH
barbara dutra
Campeãs Viviane Senna entre Rebecca Suplicy Mason, Daniela Pedrosa, Rejane de Paula e Adriana Machado, no jantar que coorou a exposição “Senna na Cabeça e no Coração”, em BH

  Canhão para passarinho   Só se fala nisso. A marcação cerrada da Receita Federal nas bagagens dos brasileiros que voltam do exterior. O “engraçado” é que fiscalizando os peixinhos para fisgar tubarões, ou seja, detectar grandes riquezas no exterior, a Receita “me engana que eu gosto”. Em vez de ficar abrindo malas com presentes, lembrancinhas ou de sacoleiros, ela deveria mesmo é vigiar o dinheiro que sai aos milhões, em contas do exterior, paraísos fiscais.   Canhão sem mira   Ok! Muita gente anda transformando viagens internacionais em meio de vida. Viajam, compram o que for possível e o que o dinheiro conseguir e depois revendem aos “amigos” no Brasil, claro, sem pagar impostos. Mas, aqui entre nós. Desde quando isso é novidade? Desde os idos de excursões ao Paraguai, passando agora por Nova York e Miami, os brasileiros sempre fizeram isso. Seja para trazer o que o Brasil não produz, seja para escapar dos extorsivos impostos que não param de aumentar.   Canhão contra o luxo   São as redes sociais que mais estimulam estes sacoleiros internacionais, que as usam como vitrines, lojas. Produtos de luxo ou da alta gastronomia têm preferência. Por exemplo, sal trufado, que na Itália sai por € 13, aqui custa R$ 100. Peças de carros de luxo também. Lucro certo. Para isso, a receita vai invadir privacidades, vigiando origem, volume de malas e frequência dos viajantes.   Canhão certeiro   Ano passado, os brasileiros torraram US$ 25 bilhões no exterior. Mesmo agora, com a exorbitante alta da moeda, as “comprinhas” podem diminuir, até o resultado das eleições (será?), mas ainda valem a pena. Mesmo comprando acima da ridícula cota de R$ 500, as compras no exterior são um canto de sereia, com ótimos produtos por um terço do preço cobrado aqui.   Finíssimo e elegante   Belíssimas e novas páginas do capítulo “Grandes casamentos em Belo Horizonte”. No último dia 25, o de Maria (Mônica Gonçalves e Victor Campos Neto) e Rodrigo (Rosângela e Sergio Luiz Santos), na Basílica de Lourdes, teve recepção no Automóvel Clube. Tudo no melhor padrão Trousseau, marca da qual Mônica é representante. Detalhes chiques – como as toalhas de linho com monograma dos noivos – rimavam com o bom gosto da decoração de Denise Magalhães e a produção de Paulo Rossi.   Chiquérrimo e sofisticado   Já no dia 27, foi a vez do próprio Rossi e sua Leila brindarem à união do filho Gregorio com Roberta, na casa dos pais dela, Sandra e Mauro Raso Assumpção, na Pampulha, após o religioso na Igreja São Francisco de Assis. Cenário incrível: decoração do top florista Vic Meirelles; fotos da cerimônia (por Márcia Charnizon) exibidas em imenso telão; show de Marina Machado; fino bistrô, doces e alegria sem fim.   LANÇA-PERFUME   Em tempo: o Instituto Ayrton Senna – financiado por recursos próprios, doações e parcerias com a iniciativa privada – pesquisa e produz conhecimentos para melhorar a qualidade da educação, em larga escala.   Anualmente, seus programas beneficiam diretamente cerca de 2 milhões de alunos em mais de 1,2 mil municípios do Brasil.   Dia 2, o Boulevard Shopping trouxe o diretor criativo da São Paulo Fashion Week, Paulo Borges, e a modelo e apresentadora Mariana Weickert para talk show com convidados.   Paralelamente, até dia 12, fica em cartaz no mall a exposição com fotos de editoriais e ensaios sobre moda, jeans e criatividade; curadoria do próprio Borges. Tudo dentro do projeto FFWMAG Fashion Tour.   Alexandre Veiga comemora: sua Patrimar Engenharia, junto com o escritório Farkasvölgyi Arquitetura, recebeu dois grandes prêmios – o International Property Awards e o 11º Grande Prêmio de Arquitetura Corporativa.   O “responsável” é do projeto do empreendimento Empresarial Irffi, edifício comercial que será construído em Belo Horizonte.   Nosso amigo Alipio Ferreira de Mello Neto casa-se com Bruna Ribeiro Maracajá, dia 8 de novembro, no Quartel do Exército de Amaralina, Salvador. Felicidades!

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave