Acomodados

iG Minas Gerais | Paulo Bressane |

Minas e Metal: diretor-presidente da Gerdau, André Gerdau Johannpeter, e o governador de Minas, Alberto 
Pinto Coelho, no Museu das Minas e do Metal
Foto: Eduardo Rocha/RR
Minas e Metal: diretor-presidente da Gerdau, André Gerdau Johannpeter, e o governador de Minas, Alberto Pinto Coelho, no Museu das Minas e do Metal

Publiquei a coluna abaixo em 6/ 2012. Na data, fomos às urnas votar para os cargos de prefeito e vice-prefeito, além de 41 – ufa! – vereadores para a “administração” do município. Agora, o compromisso é bem mais sério, o cargo da presidência dita os rumos da nação, então, prestem bastante atenção no que irão fazer. É preciso ter em mente que os escolhidos terão como interferir diretamente na vida de todos nós (infelizmente, só os que conseguem enxergar as entrelinhas do poder sabem que corremos um enorme risco com o atual governo). Não faça uma escolha pautada pela emoção, não caia no engodo do marketing eleitoral, ele é fajuto e emocionalmente manipulador. Se informe sobre a realidade da economia, sobre os escândalos de corrupção que envolvem o partido de seu candidato, se coloque como protagonista de um país melhor. É você quem manda, é você quem decide. Vamos à coluna: Neste domingo, de forma impositiva, iremos mais uma vez às urnas para votar em nossos representantes políticos. O voto deveria ser nossa melhor ferramenta para a construção de um país melhor, mas não sabemos como usá-lo. Continuamos como um povo politicamente ignorante, um povo que aplaude a ideologia do estatismo estagnante e se contenta com as migalhas paternalistas de governantes desgovernados. Continuamos como um povo democraticamente inativo e moralmente apático. Continuamos, enfim, como um povo imediatista, omisso e acomodado, padecendo eternamente em berço esplêndido por falta de atitude. Ao irem às urnas, não se deixem iludir pelo canto das sereias, lembrem-se de que precisamos de gestores dispostos a enfrentar a máquina perdulária e cortar os gastos desnecessários. Gestores que não se vendam ao jogo de interesses. Gestores, enfim, que não ignorem a impunidade, o autorrespeito e a deterioração do tecido moral de nossa sociedade. A ministra Carmem Lúcia, ao votar condenando réus do mensalão, disse com a máxima propriedade: “Meu voto não é absolutamente de desesperança na política. É a crença nela e na necessidade de que todos nós, agentes públicos, nos conduzamos com mais rigor no cumprimento das leis”. É uma luz que se acende. ENTRE A GENTE Pela primeira vez em 50 anos temos um general como candidato a deputado federal. O militar Marco Felício é formado em administração com especialização em Gerenciamento da Excelência, e foi um dos primeiros oficiais a se posicionar contra o Governo Federal quando, após determinação do Ministério da Defesa, os clubes militares retiraram de seus sites um texto em que criticavam auxiliares da Presidente Dilma Roussef.

Fernando Júnior (Grupo Meet) se uniu a Liz Lourenço (Unique Bebidas Finas) para ampliar a sua Meet Import, uma das empresas do grupo, criando a Meet Bebidas Finas. Com isso, Júnior fortaleceu ainda mais o Grupo Meet, o maior no setor de entretenimento em BH.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave