Tríplice fronteira

iG Minas Gerais |

Não é comum encontrar a tradicional cozinha paranaense em Foz do Iguaçu, nem mesmo o tradicionalíssimo barreado – carne de panela cozida com a tampa da panela vedada e barreada por pasta de mandioca –, o grande símbolo gastronômico do Estado.

Para quem vive em Estados centrais do Brasil, como Minas Gerais e São Paulo, é difícil entender a influência da cultura de países vizinhos em regiões de fronteira. As maiores referências nem sempre são as nacionais, já que em questão de poucos minutos – ou horas – estamos em um outro país, haja vista os célebres movimentos separatistas do Rio Grande do Sul.

Pelo enorme fluxo turístico, a região de Foz do Iguaçu oferece em sua gastronomia quase tudo, de restaurantes asiáticos a árabes, chineses e italianos. Problema comum em cidades com grande fluxo de pessoas – não é simples comer bem em Veneza, afinal, “turista come qualquer coisa” – são as opções variadas, mas as escolhas requerem atenção.

Das águas

As melhores opções estão nos dois extremos entre a cozinha leve, baseada na abundância de peixes de rio, os churrascos e as parrillas, do lado argentino. O inusitado é a presença forte da cozinha árabe de tradição libanesa, que faz sucesso local com moradores e turistas.

Entre os peixes, os destaques são o surubim e principalmente o dourado, comum no rio Paraná, esse último com direito a um festival próprio, o Concurso do Dourado Assado, que atrai milhares de turistas.

Clássico

O prato típico eleito da região – critério comum em destinos turísticos –, conforme confirma a regra, é o pirá de Foz, feito com a dupla dourado-ou-surubim ao molho de gengibre.

Na tríplice fronteira – tríade formada com a paraguaia Ciudad del Este e a argentina Puerto Iguazú –, a gastronomia traz o tríplice prazer na degustação de peixes assados, churrascos ao estilo gaúcho, parrillas ao estilo argentino – com o clássico bife de chorizo –, além das famosas empanadas e das saborosas panquecas de doce de leite.

Receita

SURUBIM AO MOLHO DE COCO, MARACUJÁ E HORTELÃ

Preparo do surubim: Faça no liquidificador um suco com a água e a polpa de 1 coco verde, a polpa de 1 maracujá (sem as sementes) e 2 colheres (sopa) de hortelã. Reserve. Tempere 4 filés de surubim cortados em porções de 180 g cada com sal e pimenta-do-reino. Em uma frigideira grande aqueça 4 colheres (sopa) de azeite e doure 2 cebolas cortadas em rodelas e 2 dentes de alho picados. Coloque os filés de surubim e doure-os dos dois lados, por cerca de 2 minutos de cada lado. Coloque o suco reservado e deixe cozinhar por cerca de 5 minutos. Sirva com purê de banana da terra e farofa de farinha de mandioca amarela.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave