Sobre as drogas da sociedade

iG Minas Gerais | Jessica Almeida |

Longe dos palcos de BH há cinco anos, o ator está ansioso pela volta
Paula Kossatz/Divulgação
Longe dos palcos de BH há cinco anos, o ator está ansioso pela volta

Não foi por bloqueio criativo ou coisa do tipo que Bruno Mazzeo – que além de ator, escreve para cinema, TV e teatro – optou por voltar aos palcos com um texto de outro autor. O motivo, segundo ele, era sair um pouco do lugar comum de interpretar seus próprios textos. Mas, apesar disso, fazia questão de que fosse algo que ele pudesse ter escrito, que despertasse a sensação de dizer o que ele pensa.

Essa meta acabou senda encontrada em “Sexo, Drogas & Rock ‘n’ Roll”, monólogo que Mazzeo traz a Belo Horizonte no próximo fim de semana (10 a 12). “Muita gente acha que o texto é meu”, diz, sobre a obra do norte-americano Eric Bogosian, produzida pela primeira vez no início dos anos 1990 e premiada no circuito Off-Broadway (Obie Awards).

Além da identificação com a dramaturgia de Bogosian, a impressão de que o texto é dele vem graças ao trabalho realizado durante os dois meses de ensaio e criação ao lado do diretor Victor Garcia Peralta, que lhe apresentou a peça. Com isso, saíram de cena elementos vinculados a determinado tempo ou espaço e ficaram apenas as questões universais. “Trouxemos para nossa realidade, sem alterar o conjunto profundamente. Pegamos o que ele disse no contexto de Nova York e fizemos com que soasse como se tivesse sido dito no Rio”, explica.

Seis em um

De jeans, camiseta e tênis – uniforme de qualquer bom roqueiro –, em um cenário igualmente neutro, Mazzeo interpreta seis personagens: um morador de rua, um “junkie”, um milionário bon-vivant, um empresário poderoso e um artista em crise. As esquetes, apesar de independentes umas das outras, são conduzidas pelo mesmo fio de raciocínio. “Pode ser que algumas pessoas até não pesquem porque eles não têm relação direta nenhuma, mas de alguma forma estão ligados na essência, com suas neuroses e loucuras”, analisa.

E as mesmas mazelas que dão unidade aos personagens criam empatia no público, ainda que isso se manifeste pelo riso. “Todos eles são irresponsáveis e agem sem culpa. Mas são culpados, assim como todos nós”, reflete.

Focado no espetáculo, Mazzeo diz estar em processo de criação tanto para o cinema quanto para a televisão, mas é cauteloso e prefere não revelar detalhes. “Com a idade fazemos as coisas com mais calma, mas eu sempre estou, de alguma maneira, andando”, diz.

Sexo, Drogas & Rock’n’Roll Com Bruno Mazzeo Cine Theatro Brasil Valourec (r. dos Carijós, 258, centro, 2626-1231). De 10 (sexta) e 11 (sábado), às 20h; e 12 (domingo), às 19h. R$ 80 (plateia 1, inteira), R$ 70 (plateia 2, mezanino)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave