Reclamando de faringite, Dilma fala dez minutos para aparecer no "JN"

Rouca e com aparência de abatida, candidata disse que estava com faringite por "excesso de uso" da voz, mesmo assim falou dez minutos sobre programas de saúde da sua gestão e promessas para a área em um eventual segundo governo

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A dois dias da eleição e após cumprir agenda de campanha na capital paulista e em São José dos Campos (SP), a presidente Dilma Rousseff (PT) marcou coletiva de imprensa para o fim de tarde sexta-feira (3), mas não respondeu a perguntas e, ao deixar o evento, disse que tinha "um minuto garantido", em referência ao tempo de cobertura do "Jornal Nacional", da "TV Globo".

Rouca e com aparência de abatida, Dilma disse que estava com faringite por "excesso de uso" da voz, mesmo assim falou dez minutos sobre programas de saúde da sua gestão e promessas para a área em um eventual segundo governo.

Ao fim do discurso, feito em um hotel no centro de São Paulo, disse que não responderia a perguntas e que tinha que "poupar a voz" para "amanhã e depois".

Questionada sobre o motivo de ter agendado a entrevista se não tinha intenção de falar com a imprensa, ela afirmou: "pois é, mas eu tenho um minuto garantido, né?".

Dilma participou de duas carreatas durante a manhã. Como a legislação não permite mais discursos, não subiu em palanque em nenhuma das vezes.

Em São José dos Campos, falou rapidamente aos jornalistas que a acusação de uso da máquina pública em sua campanha veio da parte de quem "corre o risco de perder" a disputa.

O presidenciável Aécio Neves (PSDB) tem acusado Dilma de usar os Correios a favor de sua reeleição. Segundo o tucano, a estatal deixou de entregar material de sua campanha em Minas Gerais.

"Olha, é uma coisa interessante essa história [ de uso da maquina] que aparece sempre quando alguém corre o risco de perder a eleição e que atribui responsabilidade aos outros", afirmou. Dilma provocou os governos estaduais do PSDB e sustentou que reduziu gastos com funcionalismo.

Segundo a última pesquisa Datafolha, a presidente estaria no segundo turno com tem 40% das intenções de voto, contra 24% da pessebista Marina Silva e 21% do tucano Aécio Neves.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave