Anfitriões mostram a prata da casa no Salão de Paris

“Jogando em casa”, Renault, Peugeot e Citroën apresentam muitas novidades

iG Minas Gerais | Raimundo Couto |

Salão de Paris 2014
Newspress/Divulgação
Salão de Paris 2014

Mesmo com a presença das principais fabricantes de automóveis do mundo, o Salão de Paris reserva para seus anfitriões a vitrine de maior impacto. É nessa mostra que as francesas Citroën, Renault e Peugeot reúnem todas a as suas forças e mostram ao mundo o quanto evoluíram em termos de design e em tecnologia.

Em busca do desafio estipulado pelo governo francês, que prevê a produção para 2020 de um veículo que seja capaz de rodar 100 km consumindo apenas 1 litro de combustível, a Renault expõe o conceito Ecolab, feito a partir da quarta geração do Clio. Híbrido e com componentes leves em sua fabricação, seu coeficiente aerodinâmico (cx) é de apenas 0,235. Seus retrovisores têm câmeras e suas calotas fecham-se completamente e abrem-se quando é necessário resfriar os freios. Comparado ao modelo que lhe deu origem, o Ecolab pesa quase 500 kg a menos. O motor a combustão, com três cilindros de 1.0 l, com 75 cavalos de potência, e o elétrico, com o equivalente a 68 cv, são acompanhados por um novo câmbio sem embreagem de três velocidades, com as primeiras duas marchas ligadas à propulsão elétrica e apenas a terceira ligada ao motor a gasolina.

Hoje com controle de suas ações fora da família Peugeot, a holding PSA, que reúne as marcas Peugeot e Citroën, luta pela recuperação de vendas e maior participação nos mercados onde atuam. A Citroën destaca, ainda como conceito, a versão híbrida do C4 Cactus, modelo que inova ao introduzir os para-choques e reforço lateral externo nas portas com bolhas de ar (chamados de “airbumps”) para reduzir custo de substituição em que caso de acidente.

O apelo não poderia ser outro senão o ecologicamente correto, e assim, o C4 Airflow, nome de batismo do conceito, é outro player no citado desafio de estabelecer um produto de alta economia em seis anos. O peso é de 865 kg, 100 kg a menos que o Cactus, e o protótipo da Citroën está equipado com a motorização Hybrid Air, tecnologia semelhante à utilizada pelo Peugeot 2008 Hybrid Air. Esta motorização combina um motor de três cilindros de 1.2 l Puretech com 82cv, uma bomba hidráulica e depósito de ar comprimido na traseira do carro. O veículo pode ser conduzido em três modos distintos: a ar, a gasolina ou em modo híbrido.

Esportivos

Terminando a cobertura dos anfitriões, os franceses da Peugeot mostram o 308 GT, já em segunda geração. No Brasil, a promessa é de a marca lançar uma versão GT do compacto 208. Os novos hatch e SW 308 GT usam dois motores, um 1.6 THP de 205 cv, com sistema Stop&Start e uma caixa manual de seis velocidades, e um motor 2.0 BlueHDi de 180cv, com uma caixa automática de seis velocidades. 

Superesportivos

Se em outros tempos estivemos mais próximos daquilo que os europeus podem comprar, a realidade, hoje, no Brasil, é bem diferente. Com algumas exceções, as novidades mostradas no Salão de Paris deste ano estão distantes de nosso país. No entanto, automóveis de nicho sempre ocupam seu lugar, seja no imaginário, seja na garagem dos mais abonados.

É o caso da Mercedes-Benz, que mostra em Paris o AMG GT, recém-lançado pela marca. Ele é o sucessor do SLS AMG , o segundo modelo de produção em série da AMG, e chega ao mercado no primeiro trimestre do próximo ano. Outro importado que desembarcará no Brasil e é destaque em Paris é o esportivo Audi TT, que, depois de revelada sua terceira geração no começo deste ano, ganha versão conversível.

A Ferrari causou furor ao mostrar uma edição limitada do modelo 458 Italia. O 458 Speciale A surge como homenagem às vitórias nas pistas de Le Mans, Daytona e Sebring. A edição especial é, segundo a Ferrari, o mais potente conversível na história da marca: são 605 cavalos e 55,1 kgfm de torque.

A Lamborghini também teve os holofotes ao apresentar o seu primeiro híbrido, o Asterion LPI 910-4. O modelo combina um motor a combustão de 610 cv com outros três elétricos que, juntos, entregam mais 300 cv, totalizando 910 cv de potência. A tração é integral, e a transmissão é automatizada de dupla embreagem e sete marchas. De acordo com a Lamborghini, o Asterion acelera de 0 a 100 km/h em apenas 3 s e alcança 320 km/h de velocidade máxima.

Para o Brasil?

A grande atração da Fiat estreou mundialmente nesta edição do Salão de Paris: a nova versão do conhecido 500, denominada de 500X, foi recebida com grande expectativa. A marca italiana assegura que o modelo será comercializado em mais de cem países.

Para as ruas europeias só em 2015, com propulsores 1.4 turbo MultiAir II de 140 cv e 1.6 MultiJet II diesel de 120 cv, ambos com câmbio manual de seis marchas e com tração dianteira. Haverá também uma versão de topo 2.0 MultiJet diesel com 140 cv de potência associado ao câmbio automático de nove marchas e tração integral. São seis airbags, controle de estabilidade e alertas para saída da faixa e pontos cegos.

As versões mais completas vão oferecer ainda o Drive Mood Selector, que muda parâmetros do motor, freios, direção e transmissão, permitindo três comportamentos diferentes do carro, com base em estilo de condução e condições de estrada. Em modelos com tração dianteira, ele ativa o sistema de controle Traction Plus, que melhora a aderência.

Mesmo que não confirme, a Fiat poderá produzi-lo na nova fábrica em Pernambuco, uma vez que ele divide a plataforma com o futuro Jeep Renegade, que também esteve exposto em Paris e já está confirmado como um produto da planta pernambucana.

Mais novidade

Já um produto confirmado para o nosso mercado e apresentado em Paris é o Land Rover Discovery Sport. Ele será produzido na fábrica que a marca inglesa está construindo em Itatiaia (RJ). Inicialmente ele será importado, mas a versão nacional chegará às ruas em 2016. Assim como outros lançamentos da marca inglesa, o novo Discovery Sport tem desenho claramente inspirado no Evoque.

Novo compacto

A Opel, o braço europeu da General Motors, revelou o modelo Karl, um carro pequeno, urbano e que se junta ao Corsa e ao Adam naquele mercado. Durante sua apresentação, parte da imprensa brasileira presente no Paris Motor Show especulou que o compacto poderá vir a ser um possível substituto para o já cansado Celta, que conta com quase 15 anos de vida.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave