Brasil encara Rússia em reedição das duas últimas finais de Mundial

Vitória brasileira pode complicar classificação das adversárias para a próxima fase

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Thaísa é uma das armas do Brasil para tentar parar o ataque russo
FIVB - DIVULGAÇÃO
Thaísa é uma das armas do Brasil para tentar parar o ataque russo

Um dos confrontos mais tradicionais do vôlei mundial acontece na tarde deste sábado, com ares de decisão. Brasil e Rússia se enfrentam às 15h (horário de Brasília), em Verona, pela segunda fase do Mundial. O Sportv transmite ao vivo. Os dois times fizeram as duas últimas finais da competição, que terminaram com triunfos das europeias.

Invicto, o Brasil pode ficar muito perto da classificação em caso de vitória. O resultado seria péssimo para o time de Gamova e cia, que teria apenas mais um jogo pela frente, contra a Sérvia, em partida que pode ser decisiva para as duas equipes.

O time de José Roberto Guimarães está invicto após sete jogos, sendo cinco na primeira fase e dois no atual momento. A Rússia tem cinco vitórias em sete jogos. As duas equipes são velhas conhecidas e já sabem quais são os perigos das adversárias, assim como o caminho para a vitória. A atenção brasileira deve estar concentrada nos fortes ataques russos, assim como em seu eficiente ataque, impulsionado por bolas altas na entrada e saída de rede. A ponta Kosheleva é a segunda maior pontuadora da competição, com 143 pontos. 

Na quarta posição da chave com 10 pontos, o time de Gamova, que chega de derrota por 3 a 2 para a Turquia, precisa de um triunfo para voltar a brigar para estar no grupo das três primeiras que se classificam para a próxima fase. O Brasil tem 14 pontos e está na segunda posição, atrás dos EUA, que somam 15. A Sérvia está em terceiro, com 11.

Depois de Rússia, o Brasil pega os EUA em jogo que pode definir o primeiro colocado do grupo. "No final de semana, vamos ter dois adversários diretos na briga pela classificação e precisamos buscar os três pontos em cada confronto", destaca a oposta Tandara.