Dilma afirma que está preparada para o segundo turno

Petista diz que daqui para a frente vai continuar lutando para apresentar as suas propostas, citando as áreas da educação, saúde, moradia com o Minha Casa Minha Vida e o Pronatec

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Dilma Rousseff participa caminhada em Santos. Santos - SP, 30/09/2014
PT/Divulgacao
Dilma Rousseff participa caminhada em Santos. Santos - SP, 30/09/2014

A presidente e candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, afirmou nesta sexta-feira (3) que a despeito das recentes pesquisas eleitorais mostrarem a possibilidade dela vencer o pleito no primeiro turno, sua campanha está preparada para o segundo turno. "Nos estamos contando com o segundo turno", afirmou, antes de participar de caminhada no centro de São José dia Campos, no Vale do Paraíba.

"Fizemos a campanha forte, agradeço à militância e ao povo dedicado que me recebe, estou aqui muito feliz, mais uma vez nessa cidade que é uma das mais tecnológicas do País", disse, afirmando que estava rouca e com a voz comprometida nesta reta final de primeiro turno.

Ao falar que conta com o segundo turno, a petista diz que daqui para a frente vai continuar lutando para apresentar as suas propostas, citando as áreas da educação, saúde, moradia com o Minha Casa Minha Vida e o Pronatec. "Estamos preparados para enfrentar o primeiro e o segundo turno e não tenho preferência quanto ao adversário", disse, numa referência aos dois candidatos que disputam o segundo lugar na corrida presidencial, Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB).

Indagada sobre as ações judiciais que o PSDB está impetrando contra sua campanha, por suposto uso da máquina pública, a presidente ironizou: "É uma coisa interessante está história que aparece sempre que alguém corre o risco de perder a eleição, que é atribuir responsabilidade a outro." E defendeu a gestão petista, dizendo que de 2002, início do mandato de Lula, o Brasil reduziu o gasto do funcionalismo público federal de 4,8% para 4,2%.

Na seara da gestão do PT, Dilma disse ainda que o número de funcionários públicos foi reduzido, apesar da abertura de concursos públicos para professores e outras áreas, como saúde e segurança. "Mesmo assim, reduzimos o porcentual de gastos com relação ao PIB e os cargos de comissão são exercidos por apenas 23% (livre nomeação)", disse, atacando os adversários tucanos: "e eu não acredito que isso ocorra nos governos estaduais do PSDB."

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave