Corinthians perde um mando por briga de organizadas

O time paulista também foi punido com multa de R$50 mil; clube deve recorrer da decisão do STJD

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Sanchez estava incomodado com as críticas de que se comportaria como
Facebook/Corinthians
Sanchez estava incomodado com as críticas de que se comportaria como "dono" do estádio

A briga entre duas de suas torcidas organizadas no clássico contra o São Paulo, há duas semanas, custou caro ao Corinthians. Nesta sexta-feira, o clube foi punido pela quarta comissão disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) com a perda de um mando de campo no Brasileirão, além de multa de R$ 50 mil. O clube alvinegro pode recorrer.

A decisão é a mesma tomada pela terceira comissão disciplinar, quarta-feira à tarde, quando julgou a briga entre as torcidas organizadas de Cruzeiro (Pavilhão Independente) e Atlético (Galoucura), em clássico realizado também em 21 de setembro, no Mineirão. Ambos os clubes, porém, eram reincidentes.

Para o clássico paulista, o Corinthians retirou as cadeiras do setor Norte do seu estádio, onde ficam as organizadas. Lá, ainda no primeiro tempo, a Pavilhão 9 e a Camisa 12 entraram em conflito, que só foi encerrado com a intervenção da Polícia Militar. O árbitro Luiz Flávio de Oliveira chegou a paralisar a partida por alguns instantes aguardando o desfecho da briga.

O Corinthians terá de jogar a 100 quilômetros da capital paulista e ainda vai ter de pagar multa de R$ 50 mil. A punição não vale para o jogo deste sábado, contra o Sport, pelo Campeonato Brasileiro. Depois desta partida, o próximo jogo do Corinthians como mandante será contra o Vitória, dia 22.

Dois jogadores também foram julgados por expulsão. Fábio Santos e Álvaro Pereira pegaram um jogo de gancho (já cumprido). Já o meia Souza terá de cumprir um jogo de suspensão por ter dado declarações contra o árbitro Luiz Flávio de Oliveira.