Bolsa quebra sequência de três quedas e sobe antes de debate

No mercado cambial, o dólar à vista, referência no mercado financeiro, fechou o dia com queda de 0,14%, a R$ 2,484

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A Bolsa brasileira conseguiu recuperar parte das perdas registradas após três sessões seguidas de queda e subir nesta quinta-feira (2). O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, subiu 1,25%, a 53.518 pontos.

No mercado cambial, o dólar à vista, referência no mercado financeiro, fechou o dia com queda de 0,14%, a R$ 2,484. O dólar comercial, usado no comércio exterior, subiu 0,28%, a R$ 2,492.

Os investidores aguardam, nas próximas horas, a divulgação de novas pesquisas eleitorais e o resultado do debate desta noite.

"A Bolsa continua dependente do cenário eleitoral e deve continuar assim nesta sexta-feira em função das pesquisas eleitorais de hoje e da própria proximidade das eleições, no domingo", afirma Roberto Indech, analista da Rico.com.vc, plataforma de investimentos da Octo. "Não teve uma notícia que justificasse essa alta. Isso tudo é volatilidade eleitoral", complementa.

Desde o início da campanha eleitoral, o mercado financeiro tem reagido aos resultados das pesquisas eleitorais, subindo quando a oposição tem bom desempenho e caindo quando a atual presidente, Dilma Rousseff (PT), aparece melhor nos levantamentos.

Segundo analistas, o mercado vê com bons olhos a possibilidade de mudança de gestão nas estatais, pois investidores consideram que a atual administração tem tomado medidas intervencionistas.

Nesta sexta-feira os investidores também devem ficar atentos aos dados de criação de vagas no mercado de trabalho dos Estados Unidos. Esse é um dos principais indicadores utilizados pelo Federal Reserve (Fed, banco central americano) na tomada de decisão de sua política monetária.

Um dado positivo pode aumentar a possibilidade de o Fed subir, ainda no primeiro trimestre de 2015, as taxas de juros daquele país, o que pode atrair mais investidores e afetar países emergentes, como o Brasil, afirma Indech, da Rico. Apesar disso, o resultado deve ter pouco impacto na Bolsa brasileira, avalia o analista. "O Brasil deve passar imune a esses dados. O que tem tido peso aqui é a disputal eleitoral", diz.

Ações

O dia foi de alta para a maioria dos papéis do Ibovespa. Das 69 ações que compõem o índice, 38 subiram, 27 caíram e quatro se mantiveram inalteradas.

As ações da Petrobras tiveram um alívio na sequência de queda e subiram no pregão. Os papéis preferenciais, os mais negociados, avançaram 1,23%, a R$ 17,30. Os ordinários, com direito a voto, tiveram valorização de 1,16%, a R$ 16,59.

Por outro lado, os papéis do Banco do Brasil fecharam o dia com queda de 0,97%, a R$ 25,45. Segundo Bruno Gonçalves, analista da Wintrade, home broker da Alpes Corretora, a baixa é uma resposta dos investidores à possibilidade de que o banco tenha que vender ações para cobrir a retirada de recursos do Fundo Soberano pelo governo.

O Fundo Soberano é uma espécie de poupança criada ao fim de 2008 para investimentos e aplicações financeiras. O governo anunciou na semana passada que usaria recursos dessa reserva para o país cumprir sua meta de economia dos gastos públicos para o pagamento de juros, o superavit primário.

As ações da Vale fecharam o dia em alta, recuperando um pouco das perdas registradas ao longo do ano. Os papéis preferenciais encerraram o dia com avanço de 2,62%, a R$ 24,28, enquanto os ordinários subiram 2,91%, a R$ 27,61.

"A Vale ficou de fora dos movimentos eleitorais. Quando outras ações subiram, ela continuou caindo. O preço do minério de ferro marcou dois dias seguidos de recuperação, os estoques de minério nos portos chineses caíram e a produção industrial da China subiu.

São dados positivos para a mineradora", afirma Gonçalves, da Wintrade. No ano, os papéis preferenciais da mineradora acumulam perda de 25,8%, enquanto os ordinários caem 22,7%.

Câmbio

O Banco Central (BC) manteve sua intervenção diária no mercado de câmbio, vendendo a oferta total de 4.000 swaps cambiais (correspondem a venda futura de dólares), com volume equivalente a US$ 197,1 milhões.

O BC também vendeu nesta sessão a oferta total de até 8.000 contratos de swap para rolagem dos contratos de novembro, totalizando US$ 393,3 milhões. Ao todo, a autoridade monetária já rolou cerca de 9% do lote total, equivalente a US$ 8,84 bilhões.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave