Com três de Henrique, Palmeiras vence e alivia pressão

Em confronto direto contra o rebaixamento, paulistas golearam a Chapecoense e atacante assumiu a artilharia ao lado de Moreno

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Henrique teve bom início no Palmeiras e já marcou três gols neste Brasileirão
PALMEIRAS/CÉSAR GRECO
Henrique teve bom início no Palmeiras e já marcou três gols neste Brasileirão

Em um raro momento de alívio neste Brasileirão, o Palmeiras deixou para trás as decepções recentes e resgatou, ao menos em parte, a confiança ao derrotar por 4 a 2 a Chapecoense, rival direto na briga para escapar do rebaixamento, na noite desta quinta-feira, no Pacaembu, na abertura da 26ª rodada da competição.

Para buscar sua vitória com placar mais elástico neste Brasileiro, o time paulista contou com nada menos que três gols de Henrique, contestado por parte da torcida. O atacante, que marcou duas vezes de pênalti, alcançou Marcelo Moreno, do Cruzeiro, na artilharia, com 12 gols.

Com a ajuda de Henrique, o Palmeiras deixou, ainda que provisoriamente, a zona de rebaixamento da tabela. O time chegou aos 28 pontos, superando o Botafogo e a própria Chapecoense, e trocou a 17ª pela 15ª colocação. O time catarinense, com a mesma pontuação, ocupa o 16º posto.

Na próxima rodada, o time paulista vai enfrentar o Botafogo, mais um adversário direto para tentar fugir da degola, na quarta-feira, dia 8, no Maracanã. A Chapecoense encara o Internacional, na Arena Condá, no dia seguinte.

O JOGO - Em mais uma tentativa de reabilitação no Campeonato Brasileiro, o Palmeiras entrou em campo nesta quinta disposto a apagar da memória a derrota vexatória, de virada, para o Figueirense, no domingo. E, por coincidência, tinha pela frente novamente mais um time catarinense.

A missão imposta por Dorival Júnior era corrigir os erros do fim de semana: falhas na marcação e erros grosseiros no ataque. Não foi o que aconteceu no primeiro tempo disputado no Pacaembu.

O Palmeiras teve bom início de jogo, como aconteceu contra o Figueirense. Foi para o ataque e, em menos de dez minutos, criou duas boas chances. Aos 4, Marcelo Oliveira descolou boa jogada pelo meio e bateu forte. Danilo fez a defesa em dois tempos. Aos 8, João Pedro foi derrubado na área. Porém, o árbitro ignorou o lance.

Cinco minutos depois, a torcida relembrou o revés do domingo quando Valdivia deu grande passe para Diogo, que entrou na área e cruzou rasteiro para Henrique. Livre de marcação, o atacante bateu fraco e facilitou o bloqueio da zaga, desperdiçando chance incrível - no domingo, o time da casa buscou a vitória depois que o Palmeiras perdeu lance claro de gol.

E, no Pacaembu, o roteiro se repetiu. Depois do susto, a Chapecoense melhorou em campo e começou a se arriscar no ataque, em boas chegadas aos 17 e aos 25. Aos 40, Leandro foi lançado pela direita, entrou na área e finalizou rasteiro, no canto direito do goleiro Deola.

Sem se assustar com o revés, o Palmeiras retomou o ritmo do início e foi para o ataque. E passou a acumular mais chances perdidas. Wesley mandou perto do travessão aos 38. Em lance de cabeça, Henrique também desperdiçou, aos 41. Na sequência, Cristaldo, que entrou no lugar do machucado Diogo, ameaçou pela direita. E, aos 45, Victor Luis acertou lindo chute de longe, com destino certo, mas Danilo pulou com precisão no ângulo e fez grande defesa.

A pressão nos minutos finais da primeira etapa deu lugar a novos sustos na defesa, no começo do segundo tempo. A Chapecoense teve duas chances para "matar" o jogo. Aos 2 minutos, Fabinho Alves cometeu erro feio ao escorar cruzamento, livre de qualquer marcação dentro da área. Aos 6, o time visitante colocou quase meia dúzia de jogadores na área e cercou a pequena área antes de Deola evitar o gol.

Parecia o prenúncio de novo fracasso palmeirense. Até que Wesley um minuto depois, dominou fora da área, girou sobre a marcação e bateu rasteiro no canto: 1 a 1. Na sequência, aos 8, Henrique desperdiçou boa chance de cabeça na pequena área. Quatro minutos depois, ele não perdoou ao completar para as redes, quase de joelhos, levantamento na área de Wesley.

A virada não freou a motivação dos palmeirenses. O time se manteve no ataque e não demorou para surgir o terceiro gol. Aos 18, Juninho cruzou da esquerda e a bola bateu na mão de Fabiano. O árbitro marcou o pênalti. E, depois de um impasse entre Cristaldo e Henrique, o segundo converteu a cobrança.

Apenas cinco minutos depois, Henrique foi derrubado dentro da área. E novamente não desperdiçou a penalidade. Ao anotar o seu terceiro gol na partida, o atacante alcançou Marcelo Moreno na artilharia do Brasileirão. Ambos somam 12 gols.

Mais tranquilo em campo, o Palmeiras tirou o pé do acelerador e cedeu espaço à Chapecoense. E, nos acréscimos, os visitantes acabaram descontando. Aos 47 minutos, Camilo cruzou para Leandro que só teve o trabalho para escorar para as redes, selando o placar da partida.

FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 4 x 2 CHAPECOENSE

PALMEIRAS - Deola; João Pedro, Lúcio, Gabriel Dias, Juninho; Marcelo Oliveira, Wesley (Bruno César), Victor Luis, Valdivia (Bruninho); Henrique e Diogo (Cristaldo). Técnico: Dorival Júnior.

CHAPECOENSE - Danilo; Fabiano (Ednei), Rafael Lima, Grolli, Rodrigo Biro; Abuda, Ricardo Conceição (Wanderson), Zezinho (Nenén), Camilo; Leandro e Fabinho Alves. Técnico Jorginho.

GOLS - Leandro, aos 40 minutos do primeiro tempo. Wesley, aos 6, e Henrique, aos 12, aos 20 (pênalti) e aos 24 (pênalti), e Leandro, aos 47 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Zezinho, Fabinho Alves, Rafael Lima, Rodrigo Biro.

ÁRBITRO - Leandro Pedro Vuaden (Fifa/RS).

RENDA - R$ 304.500,00.

PÚBLICO - 14.299 pagantes (15.447 no total).

LOCAL - Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).

Leia tudo sobre: palmeirashenriquechapecoensefutebol