Paciente de casa terapêutica morre após cair dentro de piscina

Casa era utilizada no tratamento de pessoas portadoras de deficiência mental; vítima de 56 anos chegou a ser retirada da água, mas não resistiu

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Será investigada a morte de uma mulher que se afogou na piscina de uma casa usada no tratamento de pessoas portadoras de deficiência mental, no bairro Itapoã, na região da Pampulha, em Belo Horizonte. A mulher de 56 anos chegou a ser retirada da água com vida, mas não resistiu e acabou falecendo no local.

Informações do Boletim de Ocorrência da Polícia Militar (PM) dão conta que a corporação foi acionada por volta das 9h40 na Residência Terapêutica de Saúde Mental Itapoã, localizada na rua Desembargador Lincoln Prates. A responsável pelo plantão no local relatou que deu os medicamentos para todos os enfermos e, em seguida, entrou para a casa para arrumar os quartos. 

Quando saiu do interior da residência a responsável notou que a senhora estava no interior da piscina, se debatendo. Assusta a funcionária saio gritando por socorro e pessoas que passavam pela rua entraram na residência e ajudaram a tirar a mulher da água. Os homens tentaram reanimá-la, mas, infelizmente, ela não resistiu e faleceu. 

A reportagem tentou entrar em contato com a residência terapêutica, porém, as ligações não foram atendidas. A perícia da Polícia Civil esteve na casa e constatou que a vítima apresentava um pequeno corte na cabeça que, provavelmente, foi fruto da queda da paciente dentro da piscina.

Após os trabalhos, o corpo foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Belo Horizonte. Agora, a 3ª Delegacia de Polícia de Venda Nova será responsável pela investigação que apontará a causa da morte da vítima e se houve negligência por parte dos funcionários. 

Leia tudo sobre: MULHERMORTAPACIENTECASA TERAPÊUTICADOENTES MENTAISITAPOÃPAMPULHA