Família de ex-diretor da Petrobras é incluída em acordo de delação

Mulher, filhas e genros também vão cumprir prisão domiciliar e, assim como Paulo Roberto Costa, abrir mão de valores ilicitamente obtidos

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

PGR nega pedido de Dilma para ter acesso à delação premiada de Costa
Agência Brasil
PGR nega pedido de Dilma para ter acesso à delação premiada de Costa

O acordo de delação premiada firmado pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras com o Ministério Público Federal foi ampliado para a sua família. A prisão domiciliar de Paulo Roberto Costa foi extendida à mulher, às duas filhas e aos genros, que também são alvos da Operação Lava-Jato.

Assim como Costa fez, seus familiares terão que abrir mão de valores ilicitamente obtidos. O ex-diretor da Petrobras autorizou expressamente a repatriação de US$ 25,8 milhões que ele mantém depositados na Suíça e em Cayman, além de entregar uma lancha, imóveis e até a Range Rover, avaliada em R$ 300 mil, que ele ganhou de presente do doleiro Alberto Youssef.

Marici da Silva Azevedo Costa, mulher do ex-diretor da estatal; Ariana Azevedo Costa Bachmann e Shanni Azevedo Costa Bachmann, as filhas do casal; e os genros, Marcio Lewkowicz e Humberto Sampaio de Mesquita, são investigados e processados criminalmente no âmbito da Lava-Jato, por diversos crimes tais como corrupção, peculato e lavagem de dinheiro oriundo de crimes contra a administração pública, segundo o Ministério Público Federal.

A Lava-Jato também atribui aos familiares de Costa formação de organização criminosa e obstrução da investigação.

O caso - Nesta terça-feira (30), o ministro Teori Zavascki homologou acordo de delação premiada ao ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa por ter contribuído nas investigações e ter contado a policiais federais e procuradores da República detalhes sobre o suposto esquema de corrupção na empresa e sobre os envolvidos no caso.A decisão sobre a prisão domiciliar de Paulo Roberto Costa, foi transferida pelo ministro à Justiça Federal do Paraná.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave