USP quer aumentar rigor nas punições por festas ilegais

De acordo com a superintendente de Prevenção e Proteção Universitária, Ana Lúcia Pastore Schritzmeyer, a autorização de festas era discutida desde abril, mas foi antecipada pela morte de Victor Hugo dos Santos

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A Universidade de São Paulo quer aumentar o rigor nas punições contra responsáveis por problemas em festas no campus Butantã. Besta quarta-feira, 1, a superintendente de Prevenção e Proteção Universitária, Ana Lúcia Pastore Schritzmeyer, se reuniu com representantes de centros acadêmicos para discutir o assunto.

"Não temos condições de garantir a integridade física dos participantes dessas grandes festas", afirma Ana Lúcia. A autorização de festas, diz ela, era discutida desde abril, mas foi antecipada pela morte de Victor Hugo dos Santos, de 20 anos, há quase duas semanas. O caso aconteceu em evento do grêmio da Escola Politécnica, onde as festas foram temporariamente proibidas.

Ana Lúcia diz que é preciso aumentar a fiscalização sobre festas não autorizadas, comuns no campus e que reúnem mais de 2 mil pessoas. Nos próximos meses, a superintendência ainda pretende fazer um pacto com os alunos, com punições previstas para irregularidades. 

Leia tudo sobre: EducaçãoUSPBrasilFestasViolênciaPuniçãoUniversidadeEstudantesilegalidade