Dinheiro extra tapa buracos

Verbas recebidas pelos hospitais universitários de Minas são suficientes apenas para manter estruturas

iG Minas Gerais | Johnatan Castro |

Custos. Somente o Hospital das Clínicas em Belo Horizonte tem um prejuízo de R$ 3 milhões mensais
ALISSON GONTIJO - 12.5.2011
Custos. Somente o Hospital das Clínicas em Belo Horizonte tem um prejuízo de R$ 3 milhões mensais

Quatro hospitais universitários de Minas vão receber, até o fim desta semana, mais de R$ 29 milhões enviados pelo governo federal por meio do Plano Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários (Rehuf). A verba destinada ao Hospital das Clínicas de Belo Horizonte, ao Hospital Escola de Uberaba, ao Hospital Universitário de Juiz de Fora e ao Hospital das Clínicas de Uberlândia, anunciada como reforço pelo Ministério da Saúde, será utilizada, em sua maioria, no custeio das despesas cotidianas. Com orçamentos apertados e dívidas, os hospitais universitários têm dificuldades para realizar expansões ou novos investimentos.  

Uma das situações mais complicadas está no Hospital das Clínicas da capital, da Universidade Federal de Minas Gerais. De acordo com a assessoria da instituição, que é referência, entre outras áreas, em tratamentos oncológicos, o orçamento global do hospital é de cerca de R$ 12 milhões por mês. Já as despesas ficam em torno de R$ 15 milhões – gerando um déficit mensal de R$ 3 milhões. O dinheiro será aplicado no pagamento de materiais e contratos de serviço, e não em ampliação.

Atualmente, o Hospital das Clínicas precisa arcar com a folha de pagamento de cerca de 1.400 funcionários contratados. Um concurso foi realizado em abril, e, em até um ano, todos os trabalhadores da unidade serão servidores efetivos pagos pela União.

Os recursos dos hospitais universitários de todo o país são administrados e distribuídos pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), criada em 2010. A verba costuma ser enviada semestralmente. O gerente administrativo do Hospital Escola de Uberaba, da Universidade Federal do Triângulo Mineiro, afirma que esse dinheiro não é suficiente.

“O nosso hospital recebe pouco mais de R$ 6 milhões para todo o ano do Rehuf”, disse, ressaltando que verbas adicionais são solicitadas ao governo federal por meio de planos de trabalhos, que são documentos que detalham como o dinheiro será gasto. “A duras penas, o hospital tem conseguido fechar suas contas. Mas toda ampliação e necessidade de investimento depende do plano de trabalho, e isso demora mais”.

Desta vez, enquanto cerca de R$ 8,3 milhões serão utilizados nas despesas do segundo semestre, como compra de materiais e medicamentos, R$ 475 mil serão empregados na modernização dos equipamentos de uma UTI neonatal.

O Hospital Universitário de Juiz de Fora informou que os R$ 6 milhões que recebeu do Rehuf no primeiro semestre permitiram a manutenção das atividades até o mês de julho. Já os mais de R$ 4,5 milhões recebidos agora serão aplicados no pagamento de fornecedores e de prestadores de serviços.

Saiba mais

Plano.Conforme a Ebserh, o Rehuf foi criado em 2010 com o objetivo de dar condições materiais e institucionais para que os hospitais possam desempenhar plenamente suas funções. Ele abrange os 47 hospitais universitários federais de todo o país, quatro deles em Minas. De 2010 até o último mês de agosto, R$ 3,7 bilhões tinham sido distribuídos às unidades.  Liberação. A Ebserh informou que os recursos serão liberados até o fim desta semana pelo Ministério da Saúde. Após esta etapa, os hospitais já poderão utilizá-los. Repasse. As portarias publicadas na última sexta-feira no “Diário Oficial da União” (DOU) liberaram R$ 150,4 milhões para 39 instituições, localizadas em 29 cidades do país. Até o fim deste ano, serão pagos R$ 463,7 milhões. Complemento. Os hospitais universitários informaram que também recebem verbas de pagamentos pelos serviços que prestam, vindas do programa estadual Pró-Hosp, do Fundo Nacional de Saúde, do Sistema Único de Saúde, além de recursos das universidades mantenedoras. Nenhuma instituição detalhou tais valores.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave