PM propõe certificado de qualidade para torcidas organizadas

Segundo o coronel Ricardo Machado, ação seria uma espécie de selo de qualidade para que as uniformizadas se enquadrem nos requisitos

iG Minas Gerais | THIAGO NOGUEIRA |

Para incentivar boas posturas, a Polícia Militar de Minas Gerais estuda a criação de um certificado de torcidas organizadas. Segundo o coronel Ricardo Machado, chefe do Comando de Policiamento Especializado (CPE), seria uma espécie de selo de qualidade para que as uniformizadas se enquadrem nos requisitos propostos pela corporação.

“Queremos que as torcidas cumpram itens para essa certificação. O objetivo é incentivar que as torcidas promovam a paz, agregue as pessoas, promova o lazer. Queremos que as boas torcidas frequentem os estádios”, ressaltou o comandante do CPE. Para colocar a iniciativa em prática, a PM vai ampliar a discussão com as demais forças de segurança e pretende contar com a participação dos clubes.

Na última segunda-feira, o Ministério Público recomendou à Federação Mineira de Futebol a suspensão por seis meses e pelos próximos cinco clássicos das torcidas organizadas Máfia Azul e Pavilhão Independente, do Cruzeiro, e Galoucura, do Atlético, por causa dos incidentes no clássico do último dia 21.

“Sugeríamos a dissolução ao Ministério Público, mas já foi um passo importante. Alguns integrantes precisam rever atitudes. Não podemos admitir mais violência”, destacou o coronel Ricardo Machado.

Caberá à PM a fiscalização das torcidas suspensas, que não podem usar vestimentas e bandeiras que identifiquem as organizadas. Não está proibido que esses torcedores se concentrem ou assistem às partidas juntos nos estádios. Com relação às punições anteriores, a polícia informou que as medidas foram bem cumpridas.