Vídeo é removido do Youtube por citar Garotinho

Por conter supostas ofensas ao candidato a governador do Rio de Janeiro um vídeo do Porta dos Fundos foi retirado do site por decisão do TRE-RJ

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Intitulada de
Reprodução/Porta dos Fundos
Intitulada de "Você me conhece", a paródia teve que ser removida do Youtube por ser considerada ofensiva, segundo o TRE-RJ

Por conter supostas ofensas ao candidato a governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PR), um vídeo do Porta dos Fundos foi retirado do YouTube. A remoção foi pedida ao Google pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ). Intitulado “Você me conhece”, o esquete mostra uma paródia de uma propaganda eleitoral na TV. Um candidato fictício aponta uma arma para um homem e diz: “Assim que eleito, prometo soltar o Marcelo sem nenhuma sequela”. O personagem finaliza o vídeo dizendo “Para governador, Garotinho”. O vídeo pode ser visto no Daily Motion, plataforma rival do YouTube.

A peça foi ao ar na segunda-feira (29) e já tinha chegado a 600 mil visualizações. A Justiça estabeleceu multa diária de R$ 100 mil caso a determinação de retirada fosse descumprida pelo Google. No texto da decisão, a juíza Daniela Barbosa Assumpção afirmou que o vídeo “transmite clara propaganda negativa contra o candidato a governador Anthony Garotinho, ao relacioná-lo a pessoas ligadas à prática de crimes e a organizações criminosas”.

De acordo com a juíza, o fato do ator Gregório Duvivier, integrante do grupo, ter declarado apoio a candidatos do PSOL teria influenciado a decisão. Para a magistrada, o “único interesse” da peça do grupo seria “prejudicar o candidato Anthony Garotinho e fazer verdadeira propaganda eleitoral negativa”. Duvivier não atua no vídeo nem aparece citado nos créditos. O ator se manifestou no Twitter, lembrando que foi a primeira tentativa bem-sucedida de remover material do grupo.

O Google anunciou que “recorrerá desta decisão por entender que ela viola o princípio constitucional da liberdade de expressão, que deveria ser observado especialmente em períodos eleitorais”, acrescentando que “caso o Google obtenha sucesso em seu recurso, o vídeo será colocado de volta no ar.” No Twitter, apareceram usuários dizendo que o vídeo retirado está sendo compartilhado no WhatsApp.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave