Noruega nega apoio e Oslo deve tirar pleito por Jogos de 2022

Por falta de opções, o COI vai ter que organizar três edições seguidas na Ásia: Pyeongchang em 2018, Tóquio em 2020 e Almaty ou Pequim em 2022

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Oslo deverá retirar candidatura para os Jogos de Inverno de 2022
REPRODUÇÃO/COI
Oslo deverá retirar candidatura para os Jogos de Inverno de 2022

O Comitê Olímpico Internacional (COI) será obrigado a organizar três edições olímpicas seguidas na Ásia, algo inédito para qualquer continente desde a metade do século passado. Nesta quarta-feira, a Noruega rejeitou apoiar a candidatura de Oslo aos Jogos de Inverno de 2022 e isso deverá fazer com que a única cidade europeia ainda no pleito retire sua candidatura.

Com mais esta desistência, seguem como candidatas aos Jogos de 2022 apenas duas cidades: Almaty, no Casaquistão, que não tem um projeto que agrada ao COI, e Pequim, na China, que recebeu os Jogos de Verão há apenas seis anos.

Nesta quarta-feira, tanto o Partido Conservador quanto seu antagonista Progressista rejeitaram que o governo do país ofereça garantias financeiras à candidatura de Oslo que, assim, passa a ser inviável do ponto de vista econômico.

"Nós recebemos um claro aviso e não existe razão para não seguir esse aviso. Um projeto grande como esse, que é tão caro, precisa de apoio popular, mas isso não é suficiente para mantê-lo", disse o primeiro ministro Erna Solberg, do Partido Conservador.

A Noruega é a maior medalhista da história dos Jogos Olímpicos de Inverno, por isso o COI olhava com especial atenção a candidatura local. Mas o alto custo dos Jogos de Sochi (estimados US$ 51 bilhões) fizeram com que o pleito tivesse baixa adesão da população norueguesa e, por consequência, do governo.

Na semana passada, o COI decidiu alterar alguns itens do contrato proposto às cidades-sedes e se comprometeu a não adicionar novas provas ao programa depois de escolhida a candidatura vencedora. O comitê norueguês recebeu bem a novidade mas ela não foi suficiente para o congresso.

Quando confirmada, a desistência de Oslo será a quarta retirada por europeus por 2022. Antes, haviam desistido Estocolmo (Suécia), Cracóvia (Polônia) e Lviv (Ucrânia). Munique (Alemanha) chegou a demonstrar forte interesse, mas não apresentou candidatura. EUA e Canadá, sabendo que esta edição deveria ficar com a Europa, como manda o rodízio, sequer pensaram em se candidatar, deixando os esforços para 2026.

Por falta de opções, o COI vai ter que organizar três Jogos Olímpicos seguidos na Ásia: Pyeongchang (Coreia do Sul) em 2018, Tóquio (Japão) em 2020 e Almaty ou Pequim em 2022. Além disso, a Copa do Mundo de 2022 vai acontecer na Ásia, no Catar, existindo inclusive o risco de ser realizada no inverno local. A decisão da sede dos Jogos de 2022 será tomada em 31 de julho de 2015, em Kuala Lumpur (Malásia).

Leia tudo sobre: jogos olímpicosnoruegaoslodecisão