Movimentos querem saber quem, quanto e como é o uso

iG Minas Gerais |

O Comitê da Bacia do Rio São Francisco quer que o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) entregue um relatório das outorgas, para saber para que e para quem o uso da água está sendo liberado. “Primeiro precisamos conhecer quanto está sendo usado e como para ver se temos sustentabilidade”, afirma o vice-presidente do comitê, Wagner Soares. Essa e várias outras propostas serão encaminhadas aos órgãos de gestão das águas.

Na semana passada, o movimento Articulação Popular São Francisco Vivo já protocolou uma representação junto às unidades do Ministério Público Federal na Bacia do São Francisco, exigindo moratória para o rio. O pedido é de suspensão de novos licenciamentos e outorgas para grandes e médios projetos e a revisão dos já concedidos. (QA)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave