Festival começa hoje valorizando a tradição, mas olhando o futuro

Com curadoria de Chico Lobo, mostra reúne o que há de mais rico no vasto universo da viola

iG Minas Gerais | gustavo rocha |


Lobo se apresenta hoje comemorando seus 30 anos de carreira
GUSTAVO ANDRADE / O TEMPO
Lobo se apresenta hoje comemorando seus 30 anos de carreira

A viola foi o primeiro instrumento harmônico que desembarcou em Terra Brasilis junto com os portugueses. Isso já faz um bom tempo. De lá para cá, ela virou sinônimo da cultura popular, objeto de estudos acadêmicos e encontra, ao que parece, maneiras de se manter viva. Para celebrar essa longa história e a tradição de dois consagrados violeiros mineiros, o Festival Viola Brasil, começa hoje com show de Chico Lobo, no Teatro Alterosa.

O violeiro fará um apanhado de sua trajetória de 30 anos. “Começa com meu primeiro disco lançado, ‘Braço dessa Viola’, que me possibilitou viajar para a Europa e me apresentar na Itália por 10 vezes. Daí, vou passando por todos os outros discos. Eu também vou fazer umas brincadeiras com o público. Eu gosto disso, porque é da cultura da moda de viola conversar com o público”, comenta Lobo, que também é curador da mostra.

O ambiente do violeiro é cercado por crenças, superstições e “causos”, que não ficam de fora do show de Lobo. “Eu conto algumas histórias, porque toda viola tem um chocalho de cascavel. Falo também da nossa devoção por São Gonçalo. Acredito que seja uma forma de manter a tradição viva e também para as pessoas conhecerem um pouco mais da cultura, para além da música”, pondera.

No show desta noite, o artista vai apresentar também músicas que marcaram sua vida e trajetória. “Vou cantar ‘Disparada’, que eu toco desde sempre e também ‘O Trem do Caipira’ do Villa-Lobos, que considero o principal compositor brasileiro nessa trajeto de aproximação de cultura popular e cultura erudita”, pontua.

A programação do Festival Viola Brasil terá mais três apresentações. Na quinta, Gabriel Sater, filho de Almir Sater, sexta é dia de Pereira da Viola, o outro homenageado do Festival. E Roberto Correa é o responsável por fechar a programação.

“Há uma nova geração que coloca a viola no rock, no jazz, no erudito e é muito interessante isso, mas é preciso que não se perca a tradição. Nós gostaríamos de fazer um festival maior, mas com esses quatro violeiros, a gente consegue mostrar a diversidade da viola hoje”, finaliza Chico Lobo.

Agenda

O quê. Show Chico Lobo, na abertura do Festival Viola Brasil

Quando. Hoje, às 20h

Onde. Teatro Alterosa (av. Assis Chateaubriand, 499, Floresta)

Quanto. R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave