Somando a alegria ao sagrado

Acompanhado de 80 músicos. tenor mineiro Felipe Peletta apresenta a “Misa Criolla” hoje, na igreja do Carmo

iG Minas Gerais | Daniel Oliveira |

Realização. Desde 1997, o tenor mineiro Felipe Peletta planeja interpretar a “Misa Criolla”, escrita pelo argentino Ariel Ramirez em 1964
Amanda Carvalho
Realização. Desde 1997, o tenor mineiro Felipe Peletta planeja interpretar a “Misa Criolla”, escrita pelo argentino Ariel Ramirez em 1964

O tenor mineiro Felipe Peletta conheceu a “Misa Criolla”, composta pelo argentino Ariel Ramirez, em 1997. Esse primeiro contato foi por meio de um concerto do espanhol José Carreras que, em uma visita ao Brasil, apresentou a obra em um evento na cidade de São Miguel das Missões, no Rio Grande do Sul. “Desde então, venho aguardando a oportunidade para realizá-la”, confessa Peletta.

O sonho finalmente se realizará hoje em uma apresentação inédita na igreja do Carmo, na zona sul de Belo Horizonte. Acompanhado do coro Madrigale, do Coral BDMG e de um total de quase 80 músicos convidados, sob a regência do maestro Arnon Oliveira, Felipe Peletta apresenta a consagrada “Misa Criolla”, a partir das 20h, logo após a tradicional missa das 19h, pela primeira vez em sua carreira.

“Apresentei o projeto para o Fundo Municipal de Cultura, e ele foi aprovado”, conta o tenor, sobre as origens do concerto. Desde então, o músico vem buscando o lugar ideal para a apresentação. “A princípio, se pensou na possibilidade de um teatro, mas eu achei que a gente ganharia muito em termos de cenário apresentando em uma igreja. Ela já colocaria o público no clima da obra”, explica Peletta.

Foi quando surgiu a possibilidade da Igreja da Boa Viagem, na região central. “Mas nossa expectativa de público era muito grande, e acabamos optando pela igreja do Carmo, que é a maior de Belo Horizonte”, justifica, sobre a capacidade para até 1.500 pessoas.

Pioneira. Composta em 1964 por Ariel Ramirez, a “Misa Criolla” ficou marcada como uma das primeiras peças do gênero criada em outro idioma que não o latim, trazendo uma adaptação do texto litúrgico para o espanhol. Mais do que uma simples tradução, porém, o que o argentino faz é misturar o classicismo de um dos gêneros mais tradicionais da música clássica ao calor e ao gingado dos ritmos latinos.

“Ele traz a base da música erudita e acrescenta ritmos latinos. Isso faz com que a ‘Misa Criolla’ seja uma obra ímpar. Não conheço nenhuma outra missa com essas características, que adapte a música erudita a esses ritmos latino-americanos, que são muito alegres”, descreve o tenor.

Com relação à língua, Peletta afirma que a alteração do latim para o espanhol não faz tanta diferença na hora de cantar. “A adaptação se faz na linha de canto. Faço algumas alterações, e tento dar uma suavidade e uma maior delicadeza. Como minha voz é muito clara e muito aguda, ela facilita que eu execute assim”, explica.

Peletta será acompanhado por Eliseu Barros, violinista da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, que também assumiu os arranjos que serão apresentados em Belo Horizonte. Além dele, o concerto também contará com a presença do pianista Marcelo Sampaio, parceiro recorrente em diversos trabalhos do tenor; da prestigiada pianista Patrícia Valadão, que interpreta a última parte da missa, “Agnus Dei”; de outros cinco músicos convidados e do maestro Arnon Oliveira, que traz consigo as cerca de 60 belas vozes dos Coros Madrigale e BDMG.

“Normalmente a ‘Misa Criolla’ é feita com um coro só. Mas decidimos usar dois para dar esse volume musical que é importante para a obra”, conta Peletta. O grande número de envolvidos acabou resultando em um número reduzido de ensaios: foram apenas dois com os dois coros, e outros dois com todos os músicos – um deles realizados na própria igreja do Carmo.

Além da realização pessoal do tenor, o concerto marca ainda algumas datas importantes. Ele celebra os 50 anos da composição da “Misa Criolla” e os 50 anos da sagração da igreja do Carmo. A apresentação também encerra as festividades do Tríduo de Santa Terezinha do Menino Jesus, no dia dedicado à santa. “É uma missa que transmite aquela paz que toda música sacra tem como principal objetivo, mas com outro elemento que o Ariel acrescentou, que é a alegria”, define Peletta, que já está negociando levar o concerto para outras cidades, Estados e para fora do país.

Programe-se

O quê. Concerto do Tenor Felipe Peletta – “Misa Criolla”

Quando: Hoje, às 20h (após a missa das 19h)

Onde: Igreja Nossa Senhora do Carmo (avenida Nossa Senhora do Carmo, 463, bairro do Carmo)

Duração: 30 minutos

Quanto. Entrada franca

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave